domingo, 12 de setembro de 2010

RELIGIÃO E POLITICA ????







Como em qualquer espaço institucional humano, inclusive os religiosos, há trigo e joio misturado. Inclusive, nós, seres humanos somos ao mesmo tempo trigo e joio, em linguagem mais evangélica, há em nós as obras da carne e o fruto do Espírito.  
Aprendi há tempos a não lavar o bebê sujo e jogá-lo fora junto com a água suja. Isso vale para todo ser humano e ajuntamento de humanos.
Há décadas eu venho glorificando a Deus praticando cidadania e justiça social ao lado de muitos petistas decentes e disso eu tenho muito orgulho e satisfação.
Dentre muitos terrorismos infundados espalhados pela internet, houve um que mereceu destaque nessa semana.
Recentemente tem circulado na internet um vídeo do pastor Paschoal Piragine, da PIB de Curitiba, onde ele pretende fazer um alerta sobre o voto consciente e induz sua platéia a votar conforme os valores que ele afirma ser de todo cristão. Para isso, é utilizado um vídeo emocionante, para cativar a platéia e convencê-la das proposições apresentadas. No final, o referido pastor toma a palavra e diz para os membros de sua igreja não votarem no PT, em nenhum candidato do PT, muito menos da candidata do PT à presidência da República de 2010, Dilma Roussef, acusando o partido de certas coisas que ele diz serem contra o cristianismo. Eu coloquei o vídeo nesse post para ser conferido.
Em primeiro lugar gostaria de dizer que há algo de bom nisso: a igreja acordar pra sua participação política, não como massa de manobra, mas como força de conscientização. O problema é quando essa conscientização é feita em forma de “mensagem” e não em forma de “debate”. Um pastor falando do púlpito, sem que haja um espaço democrático de discussão do que foi dito, pode parecer manipulação, e não conscientização.

Assistam ao Vídeo do Pr. Pascoal Piragine: watch?v=aUcc4e-aLcA 


Bom, não preciso revelar meu voto para essas eleições, nem minha simpatia partidária, que já é conhecida por muitos.  Também não vou discutir os valores apresentados no vídeo do pastor como sendo cristãos, nem vou dizer se concordo com todos eles, ou se discordo de alguns, senão desviaria o que quero passar aqui. Em outras postagens desse meu blog você poderá ver o que creio e minha opinião sobre outros assuntos. O que quero discutir em poucas linhas aqui é a separação da Igreja e do Estado.
O pastor citado é de uma Igreja Batista da Convenção Batista Brasileira. A Declaração Doutrinária da Convenção Batista Brasileira diz assim:


  • A igreja e o Estado devem estar separados por serem diferentes em sua
    natureza, objetivos e funções.

    5 É dever do Estado garantir o pleno gozo e exercício da
    liberdade religiosa, sem favorecimento a qualquer grupo ou credo.





    6 O Estado deve ser leigo e
     a Igreja livre. Reconhecendo que o governo do Estado é de ordenação divina para o bem-estar
    dos cidadãos e a ordem justa da sociedade, é dever dos crentes orar pelas autoridades, bem
    como respeitar e obedecer às leis e honrar os poderes constituídos, exceto naquilo que se
    ponha à vontade e à lei de Deus.

Cap XV – Liberdade Religiosa
É fundamental para a democracia e para a Liberdade de culto essa separação. Quando há alguma interferência de uma das partes nas atividades da outra, há uma desarmonia desastrosa, como mostra a história, para os membros da Igreja de Cristo e para a população em geral.
Sobre o culto, a Bíblia diz:
Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração;
Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo;
Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus.  Efésios 5.19-21
Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação. 1 Cor 14.26
Eu não vejo nenhuma recomendação bíblica para se tratar de política durante o culto. Pelo contrário, fala que seja tudo feito para a edificação, e o contexto mostra que essa edificação é a espiritual, não a política. A Igreja não pode ser transformada em comitê político!
Não sou contra o cristão tratar de política, eu mesmo trato disso, de vez em quando, na internet. O que é errado, segundo o que se aprende com a Bíblia, com a história e com a Declaração Doutrinária da CBB, é usar a Igreja para tratar de política. Esse foi um grave deslize desse pastor!!
Se ele tivesse se mantido apenas defendendo seus valores religiosos, não haveria condenação para essa atitude (talvez para conteúdo, mas não para a atitude em si), mas ele se envereda na política, toma uma decisão de voto e manipula a mensagem bíblica contra o pecado no sentido de determinar o voto de sua platéia também. Isso é profanação!!! Não importa se o alvo das críticas fosse o PSDB, o PV, o PSOL, o PCO  ou até mesmo algum partido declaradamente nazista (se no Brasil existisse).


O culto é para Deus, não para tratar de política! Ele pode e deve se levantar contra o pecado e mostrar o que a Bíblia diz sobre isso no culto. Ele tem o direito de formar sua posição política e de comunicar isso aos seus amigos na internet, nos corredores da Igreja, em confraternizações, etc, mas NÃO NO CULTO! É necessária a separação!!
Por isso considero lamentável a atitude do pastor Paschoal Piragine.
Sobre as acusações do vídeo, há uma carta aberta de um pastor onde ele responde as acusações. Creio que nada é mais justo que um “Direito de Resposta”, então vou publicar aqui no meu blog.
Deus  abençoe.
——–
01/09/2010
Prezado Pr. Paschoal Piragine,
Sou membro da Segunda Igreja Batista do Plano Piloto, trabalho na Câmara dos Deputados a sete anos e tenho acompanhado o PT, o governo federal e os projetos relacionados com as questões ligadas a sexualidade. Tivemos acesso ao vídeo onde o senhor se pronuncia contra o PT e diante dele gostaria de fazer alguns questionamentos.
Entendo que faz parte do jogo democrático se falar mal de partidos políticos e até mesmo orientar de que não se vote em nenhum dos candidatos ligados a ele. A questão aqui não é a oposição ao PT, pois ela existe e é natural. A questão é sobre a veracidade do conteúdo dessa oposição.
Não conheço o Pastor, mas o tenho como uma pessoa integra e que esteja considerando que as informações que possui contra o PT sejam realmente verdadeiras. Entretanto trata-se de afirmações que não correspondem com a realidade.
No dia do culto gravado foi mostrado para igreja um vídeo falando de aborto, pedofilia, homossexualismo, dentre outros temas e no final o pastor fala que:
“Há um partido político que fechou questão sobre esse assunto, o partido político que é o PT de nosso presidente, em seu congresso desse ano, ele, no seu congresso geral, quando eles indicam seus deputados, ele fechou questão sobre essas questões. Ou seja, se um deputado, se um senador do PT, se ele votar contra, de acordo com sua consciência, contra qualquer uma dessas leis, ele é expulso do partido.
Já dois deputados federais foram expulsos do PT, por se manifestarem contra o aborto. Isso fez com que a igreja católica se manifestasse publicamente, por que eles estavam ligados a igreja católica, junto ao PT, e se manifestarem contra, e por isso foram expulso do partido. E a igreja católica então emitiu nota pública dizendo: olha não votem em ninguém do PT. Eu diria para você a mesma coisa.
Algumas pessoas não vão gostar do que eu estou falando, mas estou falando bem claramente. Porque quando não se pode votar com a consciência, não adianta votar em pessoas, porque o partido já fechou questão.
Se você entrar no site do governo federal e pegar lá o Projeto Nacional de Direitos Humanos 3, você vai encontrar todas as propostas que o governo federal através do presidente da republica colocou na mão do congresso para serem votadas na próxima legislatura e todas elas são questão fechada pro PT. Todas elas estão aqui nesse vídeo. Tá?
E mais. Se você olhar, você vai ver como a maquina estatal está mobilizada. Isso aqui é responsabilidade de pressão do ministério da justiça. Isso aqui é responsabilidade de pressão do ministério da saúde. E se os ministros de Estado que estão ligados a esse governo, não trabalharem assim, perdem o seu cargo.
Então eu queria pedir para você levar a sério essa questão. Como pastor eu nunca fiz isso. Eu não estou dizendo para você votar em A ou B. Eu vou dizer para você em quem não votar: em pessoas que estejam trabalhando pela iniquidade em nossa terra. Porque senão queridos, Deus vai julgar a nossa terra. E se Deus julgar a nossa terra, isso vai acontecer na tua vida na minha vida, porque eu faço parte dessa terra. Porque Deus não tolera iniquidade. Amem? (Aplausos)”
Diante desse conteúdo eu gostaria de esclarecer que:
1) Não é verdade que um parlamentar do PT não pode descumprir uma deliberação coletiva do partido por uma questão religiosa ou de foro íntimo. Veja o que diz o inciso XV do art 13 do estatuto do PT:
“Art. 13. São direitos do filiado:
XV – excepcionalmente, ser dispensado do cumprimento de decisão coletiva, diante de graves objeções de natureza ética, filosófica ou religiosa, ou de foro íntimo, por decisão da Comissão Executiva do Diretório correspondente, ou, no caso de parlamentar, por decisão
conjunta com a respectiva bancada, precedida de debate amplo e público.”
2) Não é verdade que dois deputados do PT foram expulsos por se manifestarem contra o aborto. Os deputados federais Henrique Afonso e Bassuma não foram expulsos. É verdade que eles tiveram conflitos com movimentos de mulheres sobre questões relacionadas ao aborto, mas não houve expulsão. Em função desses problemas eles foram punidos pelo PT o que os levou a mudarem de partido. Podemos até aprofundar o debate para avaliarmos se ouve ou não justiça na punição, mas não houve desrespeito ao direito de posicionamento por questões religiosas.
3) Não conheço um posicionamento da igreja católica contra o PT. Conheço o posicionamento de um bispo, mas não uma deliberação da CNBB. Caso exista gostaria de conhecer.
4) O Plano Nacional de Diretos humanos é elaborado pelos conselhos de diretos humanos com a participação do governo federal, mas não é uma novidade do governo Lula. O primeiro plano foi publicado através do Decreto número 1.904, de 13 de maio de 1996, e o segundo através do Decreto número 4.229, de 13 de maio de 2002. Em todos eles estão presentes assunto polêmicos ligados com a sexualidade. Diante disso seria um equivoco afirmar que todos os méritos e deméritos do PNDH 3 é de responsabilidade do governo Lula ou do PT.
5) Dizer que o conteúdo apresentado no vídeo é o que está sendo defendido pelo PT não corresponde com a realidade. Podemos pegar os posicionamentos do PT e comparar com o conteúdo do vídeo e observaremos que não existe veracidade.
Um exemplo bastante claro é a questão da pedofilia. Não conheço nenhum parlamentar, de nenhum partido político, ou algum grupo social que defenda a pedofilia. Atribuir uma acusação dessa natureza ao PT é de extrema injustiça.
Tenho acompanhado a atuação de dois deputados federais do PT, Walter Pinheiro (Bahia), Gilmar Machado (Minas), ambos membros de igreja batistas e testemunhado uma conduta idónea e coerente com os ensinamentos de Cristo. São dois exemplos bem próximos que exemplificam a injustiça de uma orientação contra todos os candidatos do PT.
Sabendo agora que as palavras do pastor perante a igreja não correspondem com a realidade, pergunto qual serão as atitudes do pastor diante delas.
Desde já agradecemos a atenção e aguardo uma oportunidade para um encontro pessoal afim de que possamos nos conhecer.
Que a Esperança seja Grande em Deus, que Seu Amor nos dê Força e Seu Espírito nos Oriente!
Forte abraço,
Geter Borges de Sousa

Nenhum comentário: