GANHE LITECOINS GRÁTIS

Litecoin Miner - Mine and Earn free Litecoin

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

DEUS NÃO É UM DEUS DE DERROTADOS

Por Erickson Ribeiro
Nas Igrejas costumamos cantar:


“Tu és fiel Senhor,   meu  Pai  Celeste
Pleno  poder  aos   Teus  filhos  darás
Nunca    Mudaste,    nunca    Faltaste
Tal     como    era   e   sempre   serás
Dia após dia,  com  bênçãos sem  fim
Tua mercê me sustenta e me guarda”

Deus Todo Poderoso quer nos abençoar ricamente, e Ele nos dá essa possibilidade, o que acontece é que, nós mesmos barramos as bênçãos por não acreditar em nós mesmos, e o pior, não acreditar nas promessas de Deus.  Muitos falam que crêem da boca pra fora, mas na prática, vivem a duvidar do que Deus tem a nossa disposição, bastando apenas que nós tomemos a decisão de crer.
Cristo sempre perguntava “Credes que eu posso fazer isto?“ e completava:Seja-vos feito segundo a vossa fé”.

 Deus deseja que sejamos felizes e prósperos, mas o que ocorre é que vivemos em uma sociedade que criou uma cultura de que a prosperidade é suja, e de que Deus não se agrada das pessoas prósperas, e isso é uma mentira que Satanás tenta colocar nas nossas mentes e vem conseguindo com o passar dos tempos, pois se analisarmos bem, a pobreza é o que causa a maioria dos problemas da humanidade, como o tráfico de drogas, a violência, e outros inúmeros problemas sociais da atualidade, e se Deus realmente se agradasse da pobreza e da derrota, leríamos algo na sua Palavra que nos mostrasse isso,mas ao contrário, Deus promete em I Corintius 3:21, que: “porque tudo é vosso;”, ou seja, nós, ao desejar prosperidade ou vitória, não estamos tomando nada de ninguém, estamos apenas tomando posse do que nos pertence por direito, por herança Divina. E o mais importante, (antes que os puritanos me ataquem), a prosperidade não significa dinheiro, é algo maior que isso, é uma vida em "abundância", pois se prosperidade fosse somente dinheiro, milionários não acabariam com a própria vida, nem se drogariam. Então, vida próspera deve ser um conjunto de perfeito bem estar, fisico, mental, social, espiritual e claro, financeiro.  Acredite em voce, acredite no que Deus tem para voce, e assim, creia e aja, pois a fé sem obras é morta!!!
Faça seu 2011 diferente, comece hoje a construir seu futuro!!!! Feliz NAtal e um ótimo 2011.

PROFESSOR ERICKSON RIBEIRO

Graduado em Letras-UFPB
Evangelista
Pos-Graduando em Mídias na Educação
Professor de Lingua Inglesa
Professor de Português Técnico
Treinador Motivacional

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Motivação para vencer!

O sucesso é a opção de não desistir e o fracasso é a opção de desistir cedo demais!

A verdade é clara, não existe sorte ou azar, o que existe é disposição para fazer, agir e com persistência chegar aos resultados.
O talento está dentro do ser humano, mas é preciso despertá-lo, motivá-lo... Quantas habilidades estão adormecidas nas pessoas esperando apenas um motivo para despertá-las.
O que existe na verdade é trabalho. Trabalho é sucesso. Certa vez uma senhora aproximou-se do grande violonista polonês Paderewski e lhe disse: “Eu daria a vida para tocar violino assim!”. Ele respondeu: “Minha senhora, foi exatamente isso que eu fiz”.
Em outra história, um milionário texano vendo uma freira cuidando de um moribundo, disse a ela: “Irmã, por dinheiro nenhum no mundo eu faria isso”. E a freira respondeu: “Eu também não, senhor”.
Faço tantas palestras na minha vida que quando me perguntam sobre esse trabalho eu respondo: “De tantas palestras que eu faço, uma hora fico bom nisso...”.
Quem quer algo acha sempre um jeito... Mas quem não quer acha uma desculpa.
É hora de motivar-nos para despertar talentos adormecidos... No mundo profissional e pessoal vigora um novo conceito de vida e este passa constantemente pela palavra atitude.
O verdadeiro talento sempre será requisitado e para isso é nossa hora de buscar esse diferencial. Nesta viagem provavelmente descobriremos nossa vocação.
O que é vocação? Pergunte-se: O que realmente gosto de fazer? No que sou bom? Há alguém disposto a pagar por isso? Diante de sua resposta clara e precisa, você irá traçar estratégias inspiradoras na grande vitamina do triunfo chamada em letras maiúsculas: “MOTIVAÇÃO”.
É preciso bom senso também... Tem muita gente hoje que faz faculdade de hotelaria ou de moda porque de repente são os cursos “da moda”. E como fica o amanhã? É óbvio que estes cursos são ótimos, porém, fica claro também que o talento e a qualificação profissional não necessariamente estão inseridos na onda do momento.
Hoje é difícil dizer o que exatamente define a conquista de uma boa colocação... Mas certamente uma poderosa fórmula para enfrentarmos a vida é o fato de permanecermos motivados a maior parte do tempo e saber tomar as melhores decisões.
O executivo Carlos Ghosn, presidente da Renault mundial e da Nissan também mundial disse o seguinte: “A única coisa que faz a diferença é a motivação. Se você perder a motivação, aos poucos você perde tudo”.
Pense nisso, um forte abraço e esteja com Deus e motive-se para 2011!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Mudanças trazem novas possibilidades; esteja pronto para elas


Por Elaine Saad
 
Todo ser humano estabelece na vida algumas relações e alguns papéis. Somos filhos, irmãos, pais, maridos ou esposas. Somos empresários ou empregados, somos amigos e parentes de muitas outras pessoas. Todas essas relações normalmente têm um começo, um desenrolar, uma história e, muitas vezes, um fim. Nossos sentimentos e comportamentos em relação a cada um desses papéis divergem bastante, mas normalmente têm uma essência de nós, uma natureza que acaba se repetindo de alguma maneira em cada papel ocupado.

Todas as rupturas que acontecem em nossa vida causam sentimentos de perda e, por consequência, fases onde temos de lidar com uma nova realidade. Quando somos demitidos não é diferente. Aquele vínculo, muitas vezes estabelecido por muitos anos, é cortado por nossa vontade ou por vontade da organização. Na verdade, depois de algum tempo, quem iniciou o "desfazer" do vínculo já não importa mais, pois o que fica são os sentimentos com os quais temos de lidar.

Muitos profissionais pensam que somente as pessoas da categoria "empregados" podem passar por uma demissão. Mas, nesses anos todos da minha experiência lidando com esse tema, tenho percebido que, na verdade, qualquer um pode ser de alguma forma "demitido". Já vi muitos empresários, donos do próprio negócio, passarem por sentimentos muito similares aos dos profissionais do mercado, quando suas empresas não dão certo e por isso são obrigados a fechar as portas. Eles passam um tempo se perguntando onde erraram, o que poderiam ter feito diferente. Passam pela mesma curva de comportamentos, que vai desde a negação, rejeição, até a aceitação e a nova performance.

Acho que o mesmo sentimento acontece no divórcio, por exemplo. De alguma maneira um dos cônjuges diz: "não quero mais, acabou". As relações são diferentes, talvez as implicações também sejam, mas os sentimentos envolvidos são similares.

Não creio que exista uma fórmula secreta para se passar melhor por essas situações de perda. Mas sei que quanto mais rápido nossa autoestima "se levantar", maiores serão nossas chances de que a situação volte ao normal de alguma forma. Esse é um movimento que vem de dentro para fora. As pessoas o vivem de forma diferente, em um ritmo diferente e se recuperam também por meio de coisas diferentes. Freud dizia que nada melhor para curar um "luto" do que um "objeto" que substitua o "objeto" perdido. Em muitas dessas situações depende mais, ou menos, de nós a substituição do "objeto" perdido.

O mais importante aqui é lembrar que afinal, somos seres humanos e que seremos de uma forma ou de outra impactados por essa perda. Mas também é importante ressaltar que podemos dar uma forcinha para nós mesmos. Como fazer isso? Fazendo com que a perda tenha uma resposta de solução mais rápida e as autoacusações e os pensamentos de baixa autoestima possam ser substituídos por afirmações mentais positivas.

O policiamento mental é fundamental. Somente cada um de nós pode exercê-lo, uma vez que Deus nos deu a capacidade maravilhosa da liberdade de pensarmos o que quisermos. Não controlamos os fatos que acontecem em nossas vidas, mas com certeza podemos controlar as atitudes que temos em relação a eles. Portanto, dependerá de nós o encurtamento dessa fase de perda e o enxergar de novas possibilidades.

No final, o que sempre percebemos é que o novo traz possibilidades e a capacidade de inovar que talvez estivesse "dormindo" dentro de nós. Muitas vezes, a mudança não acontece quando somos os únicos responsáveis por ela.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Marketing multinível, Origem

De acordo com Will Marks[1] “O Marketing de Rede é um sistema de distribuição, ou forma de Marketing, que movimenta bens e/ou serviços do fabricante para o consumidor por meio de uma ‘rede’ de contratantes independentes”.

Surgiu na década de 1940, com o químico americano chamado Carl Rhenborg. Ele não estava satisfeito com o sistema de distribuição atual, onde o distribuidor ganhava somente aquilo que vendia. Então ele pensou no conceito de rede, ou seja, quem nunca indicou um restaurante ou uma lanchonete, mas o que o restaurante ou a lanchonete lhe pagaram por isso? Nada. Exatamente aí que estava o erro segundo Rhenborg. Então resolveu criar um sistema diferente, um sistema de bonificação onde o revendedor ganharia um percentual sobre o que outros distribuidores que ele trouxe para a companhia vendessem.

Existem várias siglas e nomes para este tipo de negócio, então vamos a elas:

* Marketing de Rede (MR)
* Marketing Multi Nível (MMN)
* Multi Level Marketing (MLM)
* Network Marketing (NM)

Também o marketing de rede é um novo conceito de venda direta, ou seja, aquela venda sem intermediários, onde a empresa pode remunerar muito melhor seus distribuidores ao invés de pagar por campanhas milionárias.

Ondas

O marketing multinível ou marketing de rede, como é mais conhecido foi divido em várias ondas:

1ª Onda: 1941 à 1979

Surgiu quando iniciou o marketing de rede, havia uma forte competição entre as empresas legítimas de marketing de rede e aquelas conhecidas como pirâmides. Essa onde teve fim quando a Comissão Federal de Comércio, o órgão de fiscalização americano, decidiu que o marketing de rede e todas as empresas que faziam parte de negócio eram legítimos.

2ª Onda: 1980 à 1989

Com o uso da tecnologia dos computadores, ficou muito fácil uma empresa de MMN. Houve uma explosão sem precedentes de empresas de marketing de rede, pois todo mundo queria ter a sua empresa de MMN. Muitas nasciam em fundos de quintal e garagens, sem muita estrutura, muitas delas quebravam depois do 4º ou 5º ano de funcionamento, deixando milhares de distribuidores milhares de dólares em produtos.

3º Onda: 1990 à 1999

Nos anos 90, tudo isso mudou, criou-se leis para normatizar o segmento e uma série de empresários com experiência profissional passaram a fazer parte dos quadros dessas empresas. A automação também foi fundamental nesse processo. Sistemas de computadores tornou simples os complexos cálculos de comissões a serem pagas aos distribuidores.

4ª Onda: A partir dos anos 2000

O período de expansão do setor, que cresce mais que qualquer economia do mundo, contando aproximandamente com 35 milhões de distribuidores no mundo e esse número aumentando exponencialmente. As formas de vender os produtos e serviços nunca foi tão fácil, pois se perdeu o preconceito em relação as empresas desse setor. Muitas pessoas estão finalmente encarando o MMN como um negócio como um outro qualquer.

Modelo de negócio

De acordo com a obra de Bernard Lalonde[2], “É cada vez maior o número de companhias dispostas a confiar a distribuição de seus produtos e a atenção personalizada a seus clientes a terceiros especializados”. O que reforça a idéia de o modelo de Marketing de Rede ser uma grande tendência em diversos segmentos de mercado.
Marketing de Rede é uma espécie de franquia pessoal, ou seja, ao invés de pagar R$ 100.000,00 pela taxa de franquia, o empreendedor paga um valor bem menor. Esse é bem pequeno, em torno de R$30 a R$150 na maioria dos casos. Entretanto, a grande maioria das empresas cria pacotes de ingresso que incluem determinada quantidade de produtos. O cadastro como distribuidor, somado a esses pacotes de produtos, pode atingir um valor entre R$500 e R$10.000. Além disso, não há meios de impedir a saturação do mercado pelo recrutamento excessivo: quem realmente sai ganhando são aqueles que entraram mais cedo no sistema e por isso estão nos níveis superiores.
Por vezes é difícil estabelecer uma fronteira entre marketing multinível e um esquema em pirâmide. Simplificando os conceitos, o sistema de pirâmide é um esquema de recrutamento de pessoas, onde não existe produto, movimentando dinheiro somente com a entrada de novos membros e com suas taxas de mensalidades, ou seja, um sistema onde não existe um produto sendo comercializado. Já marketing de rede, existe um produto ou um serviço sendo comercializado. Os ganhos dos empresários/distribuidores vem de diversas formas como: ganho na revenda dos produtos, ganho no recrutamento de novos distribuidores, participação nos lucros da empresa, entre outras formas de ganhos dependendo da empresa.
É importante notar que todos os esquema em pirâmide procuram se disfarçar em legítimas empresas de Marketing Multi Nível. Algumas delas chegam a constituir empresas e criarem algo que chamam de "produtos" ou "serviços", mas que na prática não possuem qualquer valor de mercado. Um exemplo clássico disse, são as várias empresas de Cartão de Débito que surgem a cada dia. Estas empresas são, na verdade, esquema em pirâmide. A única diferença é que, ao invés de pagarem aos que estão no topo com dinheiro, utilizam um Cartão de Débito. São as empresas que mais tem enganado pessoas nos últimos tempos. Algumas chegam a pagar bem para muitos, mas sempre algo que tende à desintegração.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

PORQUE OS DISTRIBUIDORES INDEPENDENTES FALHAM ?


Aqui está o que não fazer!!!!!!!
  1. Não escrevem metas. Não sabem o que querem.
  2. Sem compromisso
  3. : sem ação.
  4. Desistem muito rápido
  5. : freqüentemente antes dos 90 dias.
  6. Desorganizado : perde muito tempo, mente bagunçada, vida bagunçada........
  7. Falta de registros: Não mantém registros de suas transações.
  8. Só se interessa por lucro pessoal : Não se importa com necessidades dos clientes.
  9. Sem secretária eletrônica, voice-mail e celular : Não pode ser encontrado facilmente, resulta num serviço pobre. Não retorna ligações prontamente.
  10. Desinformado em como proceder, não toma vantagens dos treinamentos.
  11. Fracassa em manter compromissos e acordos.
  12. Não acompanha seus clientes e distribuidores.
  13. Quer patrocinar apenas "peixes grandes" aos invés de aprender.
  14. Desencoraja facilmente  por pequenos problemas e inconveniências.
  15. Fala mal  de outras empresas e pessoas.......... Perde credibilidade.
  16. Não está realmente sério  sobre o sucesso e não acredita no programa de trabalho.
  17. Baixa auto estima : Não se apresenta como uma pessoa vitoriosa.
  18. Quer Ter recompensa do trabalho dos outros: sem trabalhar.
  19. Distribui cópias de informações não profissionais ou não claras.
  20. Não estabelece  uma base de vendas de produtos.
  21. Não é exemplo dos produtos que representa.
  22. Não responde prontamente  às queixas de clientes e distribuidores.
  23. Não reconhece ou premia  o progresso de seus distribuidores.
  24. Não trabalha seu negócio diariamente, precisa aprender a fazer um pouco cada dia.
  25. Expectativa não realista em relação ao pequeno esforço.
  26. Não muda de ambiente, de pessoas negativas para positivas.
  27. Impaciente demais, quer fazer grande dinheiro sem tempo e esforço.
  28. Não passa informações para distribuidores, não trabalha em equipe.
  29. Reclama demais.
  30. Sonhador muda de Cia várias vezes sem alcançar sucesso em nenhuma.
  31. Se envolve em jogos de dinheiro, esquemas de ficar rico rápido, etc........ Não é um sério construtor de negócio.
  32. Não toma riscos para o próprio negócio . Investindo em produtos, propagandas, nele mesmo, sovina demais. Espera e observa.
  33. Recebe o não de maneira pessoal e fica desencorajado.
  34. Não aceita mudanças de Cia ou novas idéias dos seus mentores ou de seus distribuidores. Não é flexível.
  35. Não acredita em usar o produto regularmente.  Está apenas por dinheiro. Os produtos funcionam toda hora para os corpos, mas ele age como cliente ao invés de como uma pessoa de negócio.
  36. Facilmente influenciável por comentários negativos da família, amigos, etc...... Não ouve o lado positivo, não tem opinião própria.
  37. Gasta tempo demais para se organizar  e ficar pronto e, tempo de menos em fazer o negócio.
  38. Espera perfeição  da sua nova Cia., não entende que se precisa de tempo para se estabelecer um bom negócio.
  39. Não se planeja para o sucesso . Se planeja para o fracasso.
  40. Têm uma aparência não profissional.
  41. Sempre dá desculpas e não soluções.
  42. Não é ensinável , e acha que já sabe tudo. Não segue conselhos dos grandes distribuidores. Tem que modificar tudo.
  43. Não quer aprender lendo e mantendo-se informado a respeito dos últimos acontecimentos na Cia/organização.
  44. Fisicamente não encaixa. Falta energia.
  45. Não tenta dar o melhor de si para o negócio.
  46. Acredita em boatos ao invés de fatos , não checa às informações;
45.Não acredita realmente na frase: "Se é para ser, é para mim."
 

$UCE$$O  E UM ÓTIMO DIA DE TRABALHO

Salve essa mensagem no seu computador e repasse para a sua equipe (Seus indicados/downlines) !!