GANHE BITCOINS AGORA, GRÁTIS

BTCClicks.com Banner

domingo, 13 de dezembro de 2009

ALAVANQUE DE FORMA CONSCIENTE



O Marketing de Rede possibilita a você alavancar sobre o esforço de muitos. É aí que está a ciência do resultado. Mas nada disso ocorre da noite para o dia. As coisas levam tempo para acontecer e maturar. Existe uma curva de aprendizado. Existe o tempo da duplicação. Aprenda com seus erros, pois eles são necessários para o seu desenvolvimento profissional. Ter medo de errar é o mesmo que se sentenciar ao fracasso. Ter sucesso é passar pelos erros de forma inteligente. Compreenda isso tudo, acompanhe e registre seus progressos. Seja consciente.

"Por maior que seja o talento ou o esforço, algumas coisas exigem tempo: não dá para produzir um bebê em um mês engravidando nove mulheres" -- Warren Buffet

Usar sistemas de duplicação que dêem resultado significa realmente seguir o que eles dizem e não teimar fazendo o que você decide fazer dentro do que eles dizem. Só que aprender a fazer o simples requer tempo, porque infelizmente a teimosia em fazer algo do seu jeito vai freiá-lo nessa profissão até você descobrir que é só fazer o que lhe é dito a fazer. A menos que você não se identifique com o sistema de duplicação, faça o que é dito para ser feito. Se você não gostar, busque outro sistema que lhe agrade e faça exatamente o que é dito.

Ricardo Guimarães.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

DICIONÁRIO DO MMN


- Dowline - linha descendente - todos os membros que compõem a equipe que está abaixo de uma determinada pessoa

- Upline - linha ascendente - todos os membros em cadeia (caminho encadeado mais curto) que antecedem uma determinada pessoa

- Compressão Dinâmica - dispositivo que visa repovoar a organização preenchendo os espaços causados por não compra do produto (inatividade)

- Breakaway ou breakage - dispositivo que faz com que parte da sua organização deixe de ser sua downline caso ela atinja determinada pontuação (mecanismo obsoleto e muito criticado0

- Matriz Forçada - modelo de organização que prevê uma matriz onde as posições são previamente definidas e devem ser preenchidas em sequência

- Unilevel - modelo de organização similar às estruturas organizacionais das empresas e das forças armadas.

- Binário - modelo de organização onde cada empreendedor tem ligado a si somente duas posições descendentes, uma à esquerda e outra à direita;

- Binário Híbrido - modelo de compensação que se baseia no modelo de organização binário, mas que contém dispositivos para compensação que se baseiam no modelo unilevel, onde é analisada a sequência do patrocínio pessoal (que pode não ser contínua) e não a sequência de inscrição na rede.

- Derramamento - spill over - define no sistema binário as entradas que ocorrem na organização abaixo de um determinado indivíduo que são resultandes de cadastramentos efetuados pela linha ascendente.

- Perna maior, perna menor - dentro do sistema binário, define qual das duas linhas descendentes contem mais ou menos pontos respectivamente gerados por movimentação de produtos.

Patrocinador - sponsor - aquele que é o responsável pela inscrição do novo membro e que é seu ponto de entrada na organização

Patrocinado - sponsored - aquele indivíduo que foi trazido por você para o negócio.

cross-line - (linha cruzada) pessoas que fazem parte da mesma empresa, mas que não são sua linha ascendente nem descendente.

Taxa de inscrição - registration fee - valor cobrado a título de registro numa empresa. Nos paises com legislação mais desenvolvida sobre o MMM, não é permitida a remuneração na rede a partir dessa taxa, ou do contrário o sistema é taxado como pirâmide financeira (crime). No Brasil não temos leis específicas por enquanto, o que dá margem a empresas operarem na legalidade, mas mascararem uma atividade geralmente muito questionável.


Ricardo Guimarães.

domingo, 6 de dezembro de 2009

COSMÉTICOS NA VENDA DIRETA



Por Marcelo Alves

Pode parecer para­doxal dizer que um sistema tão clássico e popular como a venda direta tem se reinventado constantemente, sofisticando seus processos e conceitos para manter e ampliar suas vantagens no acesso aos consumidores. Paradoxal, porque algumas de suas principais pe­culiaridades ‑ seu apelo popular como atividade comercial autôno­ma (diferente de "informal" ou "ilegal") e o grande poder de pulverização na distribuição de pro­dutos ‑ caracterizam, para muitos, a venda direta como um sistema de vendas "simples" ou até "sim­plório". Mas, efetivamente, "simples" não quer dizer "simplório"... Desde a chegada da Avon ao Bra­sil, há 45 anos, a venda direta de cosméticos vem construindo uma história de sucesso, ampliada pela atuação de diversas empresas, tan­to nacionais quanto multinacio­nais, que vêm explorando todo seu potencial, posicionando o Brasil entre os dez maiores e melhores mercados para a Venda Direta no mundo, registrando uma média de crescimento da ordem de 15% ao ano há, pelo menos, cinco anos. Diferentemente da distribuição do mercado de venda direta em paí­ses da Europa e nos EUA ‑ onde a participação percentual dos cos­méticos é mais equilibrada em re­lação a outros segmentos como "Uso Pessoal", "Acessórios", "Vestu­ário", "Serviços", "Suplementos Nutricionais" e "Produtos para o Lar" (para citar apenas os mais sig­nificativos), no Brasil, os cosméti­cos dominam o mercado de venda direta, representando com larga vantagem o maior e o mais bem­ sucedido percentual em vendas na estratificação de nichos que utili­zam o sistema. Essa alta representatividade histó­rica dos cosméticos na venda dire­ta brasileira é sintomática para o setor, em comparação com o vare­jo, e evidencia os diferenciais mais importantes na atuação das em­presas desse segmento. Trata‑se de um conjunto de movimentos es­tratégicos cada vez mais elabora­dos, como você confere no qua­dro abaixo. Listados assim, todos esses diferenciais até parecem uma lista básica de "Melhores Práti­cas"... Mas é simplesmente o apa­nhado real dos esforços que as empresas mais representativas da venda direta têm efetivamente empreendido para obter o cresci­mento que, todo dia, é evidencia­do nas matérias da mídia. Na ver­dade, as empresas de cosméticos que atuam na venda direta enten­deram a equação do sucesso: em um cenário de tendências à redu­ção do emprego (mas não do tra­balho), elas usaram processos de fortalecimento de marca para cri­ar para os consumidores produtos marcantes, atuais e de forte apelo conceitual, comercializados por meio de um modelo de negócio que oferece oportunidades acessí­veis de aplicação dos conceitos de empreendedorismo, atendendo às necessidades de crescimento pes­soal de seu canal, de atendimento personalizado e de conveniência tão valorizados pelos consumidores. É assim, com toda essa sofisticação estratégica (ainda que continue sendo considerada por algumas pessoas um sistema comercial "tra­dicional" ou até mais "simples" e "popular") que a venda direta de cosméticos se renova e consolida sua posição como um canal de venda cada vez mais poderoso e extremamente eficiente, um exem­plo a ser seguido nesta época de acirrada concorrência e consumi­dores cada vez mais ariscos...

Marcelo Alves é Diretor de Projetos e consultor da DirectBiz Consultants, empresa de consultoria especializada no desenvolvimento de negócios de Vendas Diretas (www.directbiz.com.br).

Alguns dos fatores que entram na "equação de sucesso" da venda direta

Visão estratégica de equipes internas de planejamento de mercado, voltadas a desenvolver e estudar indicadores de produtividade cada vez mais precisos para entender os ciclos de vida do seu canal de revendedores (o motor da venda direta), e saber como aplicar, de forma racional, recursos que alavanquem seus resultados na atuação junto aos consumidores.

Uma dinâmica de processos co­merciais extremamente ágil, que permite criar regras de negócio que flexibilizam desde os períodos de vendas e mix de produtos até as estratégias promocionais, criando diferenciais de atratividade para os itens comercializados e de acesso dos revendedores aos consumidores.

Mobilidade para adotar formas alternativas e criativas de constituir força de vendas e atrair o canal autônomo.

Políticas agressivas de remune­ração da força de vendas, o principal elo na estrutura comercial entre o mercado e a empresa, responsável pela construção e produtividade do canal de revendedores autônomos.

Criatividade no desenvolvimento da comunicação, respeitando as diferentes lin­guagens para públicos específicos (clientes, revendedores e força de vendas), amparada por investimentos crescentes, cada vez mais estratégicos nessa área.

Investimentos e processos especí­ficos de capacitação (treinamento) do canal autônomo e da força de vendas, fundamental para a disseminação correta das características e diferenciais dos produtos e também para garantir as práticas de serviço e atendimento personalizado tão valorizadas pelo consumidor atual ‑ o que, em uma relação comercial baseada no contato pessoa a pessoa e nos locais e horários da conveniência do cliente, ganha ares de excelência para empresas de um mercado tão competitivo e amplo como o de cosméticos.

Sintonia entre o Marketing de Produ­to / P&D não só com as tendências globais, mas com os inputs locais das necessidades dos consumidores, trazidos de forma muito ágil pelo canal de revendedores.

Redução estratégica do ciclo de vida dos produtos (acelerando o giro do mix e o atendimento das necessidades do mercado consumidor), mas sempre alinhada com as tendências mundiais de cores, fragrâncias, texturas, embalagem, princípios ativos, matérias‑primas e posicionamento de preço.

Compostos promocionais atraentes e de curta duração voltados para neces­sidades específicas do canal (lucrati­vidade, vantagens comerciais) e valori­zação do mix para o consumidor (benefícios do uso, descontos, atualização tecnológica).

Depuração dos conceitos de mar­keting, expandindo‑os para além dos produtos e envolvendo, de forma pioneira, o canal de vendas e seus serviços.

Otimização dos processos internos de captação de pedidos e cadastros, fatu­ramento,separação e toda a logística do ciclo do pedido, focando na velocidade de atendimento a Vendas e na garantia de satisfação no pós‑venda ‑ processos críticos quando se analisa o nível de cobertura geográfica de mercado que esse sistema possibilita.

Apelo da atividade de revenda e do atendimento ao consumidor orientados pelas necessidades básicas do ser humano: capacitação, oportunidade, crescimento pessoal, reconhecimento, autonomia finan­ceira, empreendedorismo, liberdade de escolha, atendimento personalizado.

Preocupação crescente com temas como responsabilidade social, meio ambiente e biodiversidade, fortalecendo a relação da sociedade com as marcas.

Excelência nos processos internos de registro e controle de resultados diários, maximizando a tecnologia da informação a serviço da tomada de decisão na área comercial, cada vez mais capacitada na gestão de equipes.

sábado, 5 de dezembro de 2009

6 Passos Para Um Negócio Online Eficaz




A criação e execução de um negócio on-line eficaz, é composta de várias centenas de passos, ao invés de 6, mas isso vai servir como um guia para a direção de seus esforços. Ao contrário do que você pode ouvir desenfreadamente na internet, não é fácil, nem rápido ficar rico na web. Não só é cada negócio diferente, tanto como o que funciona para uma pessoa num mês pode não funcionar para outra pessoa ou no próximo mês.

A Internet está mudando constantemente, e o mercado é inerentemente diferente este ano do que era no ano passado. Novas melhorias tecnológicas ocorrem mensalmente, que impactam o ambiente de negócios online. O que funciona para um indivíduo quando ele é o primeiro a vender um determinado produto, de certa forma pode simplesmente não trabalhar seis meses depois, quando ele vendeu a sua idéia para 40.000 outros comerciantes, e todas eles começam a promovê-lo. Táticas de geração de tráfego são significativamente diferentes do que eram apenas um ano atrás, e dificilmente se assemelham às estratégias rentáveis de há três anos.

Estas são apenas 6 etapas do esqueleto que tem que acontecer para o seu negócio on-line ser bem sucedido. Elas são fundamentais e, embora as estratégias de implementação sejam diferentes hoje do que há alguns anos, os passos básicos permanecem os mesmos.

1. Desenvolver ou descobrir um produto. Você deve encontrar um produto que atenda às necessidades de hoje. Um produto com 5 anos de idade, cujos direitos revender você pode comprar por um dólar ou obter gratuitamente provavelmente não vai satisfazer as necessidades dos consumidores de hoje. Você deve estar disposto a pagar os direitos de vender um produto, atual útil, ou tornar-se um afiliado, onde você promove um produto popular, e em troca recebe uma percentagem da receita da venda. Considere consultar os meus produtos e adquira os direitos de revenda.

2. Determinar como os potenciais clientes podem visualizar o seu produto e ver uma apresentação de vendas. Se você desenvolver seu próprio produto ou comprar os direitos de venda de outra pessoa, você precisa de um website. Algumas dicas aqui: Ao invés de aceitar a hospedagem gratuita na web, comprar o seu próprio nome de domínio e pagar para ter seu nome de domínio e site hospedado por uma empresa de hospedagem web profissional com uma história respeitável. Se a sua empresa de hospedagem gratuita na web vai à falência, eles geralmente levam o seu novo negócio com eles.

3. Depois de ter seu web site em funcionamento, a menos que você estiver usando um programa de afiliados que fornece uma página de vendas, você deve desenvolver um script de venda e cópia da web. Além de seu web hosting, esta é provavelmente a coisa mais importante que você pode fazer. Você pode ser tentado em primeiro lugar a escrever um script de venda por conta própria, mas a menos que você já tenha muita experiência no mercado offline a escrever cartas eficazes de vendas, é necessário, absolutamente necessário, investir em alguns cursos sobre direitos autorais na web como por exemplo o Magnet Copy. Esteja disposto a gastar algum dinheiro em aprender esta habilidade. Muitos comerciantes tentam improvisar nesta área e após alguns meses de perder dinheiro na internet, finalmente, resolvem adquirir o conhecimento para escrever um bom script de vendas. Faça ao contrário, comprar primeiro conhecimento, e começar a fazer as vendas desde o início. Os clientes não compram só porque você tem um web site — querem comprar no site que faz o melhor trabalho de convencê-los que tem o melhor produto para sua necessidade.

4. Você deve desenvolver uma fonte de tráfego que realmente trabalha. Quando você começar, você pode estar com pouco dinheiro. Supondo que você está disposto a gastar algum dinheiro em vendas, na carta escrita e um host decente, você pode ser capaz de poupar na arena de tráfego por algum tempo, se você tem tempo de sobra. Se você não tem dinheiro para fazer propaganda, nem tempo para procurar a publicidade de baixo custo, provavelmente você não deve tentar um negócio on-line. Se você optar por ir a baixo custo, saiba duas coisas de frente, os retornos são realmente baixos e você vai gastar enormes quantidades de tempo na geração de tráfego. Uma vez que você começar a fazer vendas, você deve investir os seus rendimentos em formas de geração de tráfego. Se você não fizer isso, você vai ficar sem entusiasmo para gerar o tráfego livre e sem reinvestimento dos rendimentos de suas primeiras vendas em publicidade, é quase certo que vai falhar. Boas fontes de baixo custo, mas o tráfego é moroso são: escrever artigos e publicá-los nos diretórios de artigos, anúncios classificados e anúncios do e-zine. Você pode ter anúncios para milhares de visitantes a um custo baixo como milhões de banners por um preço razoável, ambos os métodos podem ter trabalhado 2 anos atrás, mas eles são um desperdício hoje.

5. Uma vez que você começar a receber o tráfego para o seu site de negócios on-line, você deve manter registros detalhados de onde o tráfego vem, e qual a percentagem de visitantes de cada fonte que estão comprando o seu produto. Ao acompanhar as suas despesas em cada tipo de visitante e pelo acompanhamento de seu rendimento nas mesmas fontes de visitantes, você pode determinar que as campanhas precisam de alterações ou que precisam ser eliminadas e que precisam ter aumento de intensidade.

6. Seguindo esse padrão, e por manter registros (o google analytics é o melhor sistema de rastreamento no mercado), você pode desenvolver um negócio na internet rentável. Novamente, isso não vai acontecer durante a noite, e você não vai ficar rico rapidamente. No entanto, se você construir um negócio com uma base sólida, e está disposto a gastar algum dinheiro aprendendo como fazer isso direito, você realmente pode se tornar bem sucedido na internet.