GANHE LITECOINS GRÁTIS

Litecoin Miner - Mine and Earn free Litecoin

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

DEUS NÃO É UM DEUS DE DERROTADOS

Por Erickson Ribeiro
Nas Igrejas costumamos cantar:


“Tu és fiel Senhor,   meu  Pai  Celeste
Pleno  poder  aos   Teus  filhos  darás
Nunca    Mudaste,    nunca    Faltaste
Tal     como    era   e   sempre   serás
Dia após dia,  com  bênçãos sem  fim
Tua mercê me sustenta e me guarda”

Deus Todo Poderoso quer nos abençoar ricamente, e Ele nos dá essa possibilidade, o que acontece é que, nós mesmos barramos as bênçãos por não acreditar em nós mesmos, e o pior, não acreditar nas promessas de Deus.  Muitos falam que crêem da boca pra fora, mas na prática, vivem a duvidar do que Deus tem a nossa disposição, bastando apenas que nós tomemos a decisão de crer.
Cristo sempre perguntava “Credes que eu posso fazer isto?“ e completava:Seja-vos feito segundo a vossa fé”.

 Deus deseja que sejamos felizes e prósperos, mas o que ocorre é que vivemos em uma sociedade que criou uma cultura de que a prosperidade é suja, e de que Deus não se agrada das pessoas prósperas, e isso é uma mentira que Satanás tenta colocar nas nossas mentes e vem conseguindo com o passar dos tempos, pois se analisarmos bem, a pobreza é o que causa a maioria dos problemas da humanidade, como o tráfico de drogas, a violência, e outros inúmeros problemas sociais da atualidade, e se Deus realmente se agradasse da pobreza e da derrota, leríamos algo na sua Palavra que nos mostrasse isso,mas ao contrário, Deus promete em I Corintius 3:21, que: “porque tudo é vosso;”, ou seja, nós, ao desejar prosperidade ou vitória, não estamos tomando nada de ninguém, estamos apenas tomando posse do que nos pertence por direito, por herança Divina. E o mais importante, (antes que os puritanos me ataquem), a prosperidade não significa dinheiro, é algo maior que isso, é uma vida em "abundância", pois se prosperidade fosse somente dinheiro, milionários não acabariam com a própria vida, nem se drogariam. Então, vida próspera deve ser um conjunto de perfeito bem estar, fisico, mental, social, espiritual e claro, financeiro.  Acredite em voce, acredite no que Deus tem para voce, e assim, creia e aja, pois a fé sem obras é morta!!!
Faça seu 2011 diferente, comece hoje a construir seu futuro!!!! Feliz NAtal e um ótimo 2011.

PROFESSOR ERICKSON RIBEIRO

Graduado em Letras-UFPB
Evangelista
Pos-Graduando em Mídias na Educação
Professor de Lingua Inglesa
Professor de Português Técnico
Treinador Motivacional

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Motivação para vencer!

O sucesso é a opção de não desistir e o fracasso é a opção de desistir cedo demais!

A verdade é clara, não existe sorte ou azar, o que existe é disposição para fazer, agir e com persistência chegar aos resultados.
O talento está dentro do ser humano, mas é preciso despertá-lo, motivá-lo... Quantas habilidades estão adormecidas nas pessoas esperando apenas um motivo para despertá-las.
O que existe na verdade é trabalho. Trabalho é sucesso. Certa vez uma senhora aproximou-se do grande violonista polonês Paderewski e lhe disse: “Eu daria a vida para tocar violino assim!”. Ele respondeu: “Minha senhora, foi exatamente isso que eu fiz”.
Em outra história, um milionário texano vendo uma freira cuidando de um moribundo, disse a ela: “Irmã, por dinheiro nenhum no mundo eu faria isso”. E a freira respondeu: “Eu também não, senhor”.
Faço tantas palestras na minha vida que quando me perguntam sobre esse trabalho eu respondo: “De tantas palestras que eu faço, uma hora fico bom nisso...”.
Quem quer algo acha sempre um jeito... Mas quem não quer acha uma desculpa.
É hora de motivar-nos para despertar talentos adormecidos... No mundo profissional e pessoal vigora um novo conceito de vida e este passa constantemente pela palavra atitude.
O verdadeiro talento sempre será requisitado e para isso é nossa hora de buscar esse diferencial. Nesta viagem provavelmente descobriremos nossa vocação.
O que é vocação? Pergunte-se: O que realmente gosto de fazer? No que sou bom? Há alguém disposto a pagar por isso? Diante de sua resposta clara e precisa, você irá traçar estratégias inspiradoras na grande vitamina do triunfo chamada em letras maiúsculas: “MOTIVAÇÃO”.
É preciso bom senso também... Tem muita gente hoje que faz faculdade de hotelaria ou de moda porque de repente são os cursos “da moda”. E como fica o amanhã? É óbvio que estes cursos são ótimos, porém, fica claro também que o talento e a qualificação profissional não necessariamente estão inseridos na onda do momento.
Hoje é difícil dizer o que exatamente define a conquista de uma boa colocação... Mas certamente uma poderosa fórmula para enfrentarmos a vida é o fato de permanecermos motivados a maior parte do tempo e saber tomar as melhores decisões.
O executivo Carlos Ghosn, presidente da Renault mundial e da Nissan também mundial disse o seguinte: “A única coisa que faz a diferença é a motivação. Se você perder a motivação, aos poucos você perde tudo”.
Pense nisso, um forte abraço e esteja com Deus e motive-se para 2011!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Mudanças trazem novas possibilidades; esteja pronto para elas


Por Elaine Saad
 
Todo ser humano estabelece na vida algumas relações e alguns papéis. Somos filhos, irmãos, pais, maridos ou esposas. Somos empresários ou empregados, somos amigos e parentes de muitas outras pessoas. Todas essas relações normalmente têm um começo, um desenrolar, uma história e, muitas vezes, um fim. Nossos sentimentos e comportamentos em relação a cada um desses papéis divergem bastante, mas normalmente têm uma essência de nós, uma natureza que acaba se repetindo de alguma maneira em cada papel ocupado.

Todas as rupturas que acontecem em nossa vida causam sentimentos de perda e, por consequência, fases onde temos de lidar com uma nova realidade. Quando somos demitidos não é diferente. Aquele vínculo, muitas vezes estabelecido por muitos anos, é cortado por nossa vontade ou por vontade da organização. Na verdade, depois de algum tempo, quem iniciou o "desfazer" do vínculo já não importa mais, pois o que fica são os sentimentos com os quais temos de lidar.

Muitos profissionais pensam que somente as pessoas da categoria "empregados" podem passar por uma demissão. Mas, nesses anos todos da minha experiência lidando com esse tema, tenho percebido que, na verdade, qualquer um pode ser de alguma forma "demitido". Já vi muitos empresários, donos do próprio negócio, passarem por sentimentos muito similares aos dos profissionais do mercado, quando suas empresas não dão certo e por isso são obrigados a fechar as portas. Eles passam um tempo se perguntando onde erraram, o que poderiam ter feito diferente. Passam pela mesma curva de comportamentos, que vai desde a negação, rejeição, até a aceitação e a nova performance.

Acho que o mesmo sentimento acontece no divórcio, por exemplo. De alguma maneira um dos cônjuges diz: "não quero mais, acabou". As relações são diferentes, talvez as implicações também sejam, mas os sentimentos envolvidos são similares.

Não creio que exista uma fórmula secreta para se passar melhor por essas situações de perda. Mas sei que quanto mais rápido nossa autoestima "se levantar", maiores serão nossas chances de que a situação volte ao normal de alguma forma. Esse é um movimento que vem de dentro para fora. As pessoas o vivem de forma diferente, em um ritmo diferente e se recuperam também por meio de coisas diferentes. Freud dizia que nada melhor para curar um "luto" do que um "objeto" que substitua o "objeto" perdido. Em muitas dessas situações depende mais, ou menos, de nós a substituição do "objeto" perdido.

O mais importante aqui é lembrar que afinal, somos seres humanos e que seremos de uma forma ou de outra impactados por essa perda. Mas também é importante ressaltar que podemos dar uma forcinha para nós mesmos. Como fazer isso? Fazendo com que a perda tenha uma resposta de solução mais rápida e as autoacusações e os pensamentos de baixa autoestima possam ser substituídos por afirmações mentais positivas.

O policiamento mental é fundamental. Somente cada um de nós pode exercê-lo, uma vez que Deus nos deu a capacidade maravilhosa da liberdade de pensarmos o que quisermos. Não controlamos os fatos que acontecem em nossas vidas, mas com certeza podemos controlar as atitudes que temos em relação a eles. Portanto, dependerá de nós o encurtamento dessa fase de perda e o enxergar de novas possibilidades.

No final, o que sempre percebemos é que o novo traz possibilidades e a capacidade de inovar que talvez estivesse "dormindo" dentro de nós. Muitas vezes, a mudança não acontece quando somos os únicos responsáveis por ela.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Marketing multinível, Origem

De acordo com Will Marks[1] “O Marketing de Rede é um sistema de distribuição, ou forma de Marketing, que movimenta bens e/ou serviços do fabricante para o consumidor por meio de uma ‘rede’ de contratantes independentes”.

Surgiu na década de 1940, com o químico americano chamado Carl Rhenborg. Ele não estava satisfeito com o sistema de distribuição atual, onde o distribuidor ganhava somente aquilo que vendia. Então ele pensou no conceito de rede, ou seja, quem nunca indicou um restaurante ou uma lanchonete, mas o que o restaurante ou a lanchonete lhe pagaram por isso? Nada. Exatamente aí que estava o erro segundo Rhenborg. Então resolveu criar um sistema diferente, um sistema de bonificação onde o revendedor ganharia um percentual sobre o que outros distribuidores que ele trouxe para a companhia vendessem.

Existem várias siglas e nomes para este tipo de negócio, então vamos a elas:

* Marketing de Rede (MR)
* Marketing Multi Nível (MMN)
* Multi Level Marketing (MLM)
* Network Marketing (NM)

Também o marketing de rede é um novo conceito de venda direta, ou seja, aquela venda sem intermediários, onde a empresa pode remunerar muito melhor seus distribuidores ao invés de pagar por campanhas milionárias.

Ondas

O marketing multinível ou marketing de rede, como é mais conhecido foi divido em várias ondas:

1ª Onda: 1941 à 1979

Surgiu quando iniciou o marketing de rede, havia uma forte competição entre as empresas legítimas de marketing de rede e aquelas conhecidas como pirâmides. Essa onde teve fim quando a Comissão Federal de Comércio, o órgão de fiscalização americano, decidiu que o marketing de rede e todas as empresas que faziam parte de negócio eram legítimos.

2ª Onda: 1980 à 1989

Com o uso da tecnologia dos computadores, ficou muito fácil uma empresa de MMN. Houve uma explosão sem precedentes de empresas de marketing de rede, pois todo mundo queria ter a sua empresa de MMN. Muitas nasciam em fundos de quintal e garagens, sem muita estrutura, muitas delas quebravam depois do 4º ou 5º ano de funcionamento, deixando milhares de distribuidores milhares de dólares em produtos.

3º Onda: 1990 à 1999

Nos anos 90, tudo isso mudou, criou-se leis para normatizar o segmento e uma série de empresários com experiência profissional passaram a fazer parte dos quadros dessas empresas. A automação também foi fundamental nesse processo. Sistemas de computadores tornou simples os complexos cálculos de comissões a serem pagas aos distribuidores.

4ª Onda: A partir dos anos 2000

O período de expansão do setor, que cresce mais que qualquer economia do mundo, contando aproximandamente com 35 milhões de distribuidores no mundo e esse número aumentando exponencialmente. As formas de vender os produtos e serviços nunca foi tão fácil, pois se perdeu o preconceito em relação as empresas desse setor. Muitas pessoas estão finalmente encarando o MMN como um negócio como um outro qualquer.

Modelo de negócio

De acordo com a obra de Bernard Lalonde[2], “É cada vez maior o número de companhias dispostas a confiar a distribuição de seus produtos e a atenção personalizada a seus clientes a terceiros especializados”. O que reforça a idéia de o modelo de Marketing de Rede ser uma grande tendência em diversos segmentos de mercado.
Marketing de Rede é uma espécie de franquia pessoal, ou seja, ao invés de pagar R$ 100.000,00 pela taxa de franquia, o empreendedor paga um valor bem menor. Esse é bem pequeno, em torno de R$30 a R$150 na maioria dos casos. Entretanto, a grande maioria das empresas cria pacotes de ingresso que incluem determinada quantidade de produtos. O cadastro como distribuidor, somado a esses pacotes de produtos, pode atingir um valor entre R$500 e R$10.000. Além disso, não há meios de impedir a saturação do mercado pelo recrutamento excessivo: quem realmente sai ganhando são aqueles que entraram mais cedo no sistema e por isso estão nos níveis superiores.
Por vezes é difícil estabelecer uma fronteira entre marketing multinível e um esquema em pirâmide. Simplificando os conceitos, o sistema de pirâmide é um esquema de recrutamento de pessoas, onde não existe produto, movimentando dinheiro somente com a entrada de novos membros e com suas taxas de mensalidades, ou seja, um sistema onde não existe um produto sendo comercializado. Já marketing de rede, existe um produto ou um serviço sendo comercializado. Os ganhos dos empresários/distribuidores vem de diversas formas como: ganho na revenda dos produtos, ganho no recrutamento de novos distribuidores, participação nos lucros da empresa, entre outras formas de ganhos dependendo da empresa.
É importante notar que todos os esquema em pirâmide procuram se disfarçar em legítimas empresas de Marketing Multi Nível. Algumas delas chegam a constituir empresas e criarem algo que chamam de "produtos" ou "serviços", mas que na prática não possuem qualquer valor de mercado. Um exemplo clássico disse, são as várias empresas de Cartão de Débito que surgem a cada dia. Estas empresas são, na verdade, esquema em pirâmide. A única diferença é que, ao invés de pagarem aos que estão no topo com dinheiro, utilizam um Cartão de Débito. São as empresas que mais tem enganado pessoas nos últimos tempos. Algumas chegam a pagar bem para muitos, mas sempre algo que tende à desintegração.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

PORQUE OS DISTRIBUIDORES INDEPENDENTES FALHAM ?


Aqui está o que não fazer!!!!!!!
  1. Não escrevem metas. Não sabem o que querem.
  2. Sem compromisso
  3. : sem ação.
  4. Desistem muito rápido
  5. : freqüentemente antes dos 90 dias.
  6. Desorganizado : perde muito tempo, mente bagunçada, vida bagunçada........
  7. Falta de registros: Não mantém registros de suas transações.
  8. Só se interessa por lucro pessoal : Não se importa com necessidades dos clientes.
  9. Sem secretária eletrônica, voice-mail e celular : Não pode ser encontrado facilmente, resulta num serviço pobre. Não retorna ligações prontamente.
  10. Desinformado em como proceder, não toma vantagens dos treinamentos.
  11. Fracassa em manter compromissos e acordos.
  12. Não acompanha seus clientes e distribuidores.
  13. Quer patrocinar apenas "peixes grandes" aos invés de aprender.
  14. Desencoraja facilmente  por pequenos problemas e inconveniências.
  15. Fala mal  de outras empresas e pessoas.......... Perde credibilidade.
  16. Não está realmente sério  sobre o sucesso e não acredita no programa de trabalho.
  17. Baixa auto estima : Não se apresenta como uma pessoa vitoriosa.
  18. Quer Ter recompensa do trabalho dos outros: sem trabalhar.
  19. Distribui cópias de informações não profissionais ou não claras.
  20. Não estabelece  uma base de vendas de produtos.
  21. Não é exemplo dos produtos que representa.
  22. Não responde prontamente  às queixas de clientes e distribuidores.
  23. Não reconhece ou premia  o progresso de seus distribuidores.
  24. Não trabalha seu negócio diariamente, precisa aprender a fazer um pouco cada dia.
  25. Expectativa não realista em relação ao pequeno esforço.
  26. Não muda de ambiente, de pessoas negativas para positivas.
  27. Impaciente demais, quer fazer grande dinheiro sem tempo e esforço.
  28. Não passa informações para distribuidores, não trabalha em equipe.
  29. Reclama demais.
  30. Sonhador muda de Cia várias vezes sem alcançar sucesso em nenhuma.
  31. Se envolve em jogos de dinheiro, esquemas de ficar rico rápido, etc........ Não é um sério construtor de negócio.
  32. Não toma riscos para o próprio negócio . Investindo em produtos, propagandas, nele mesmo, sovina demais. Espera e observa.
  33. Recebe o não de maneira pessoal e fica desencorajado.
  34. Não aceita mudanças de Cia ou novas idéias dos seus mentores ou de seus distribuidores. Não é flexível.
  35. Não acredita em usar o produto regularmente.  Está apenas por dinheiro. Os produtos funcionam toda hora para os corpos, mas ele age como cliente ao invés de como uma pessoa de negócio.
  36. Facilmente influenciável por comentários negativos da família, amigos, etc...... Não ouve o lado positivo, não tem opinião própria.
  37. Gasta tempo demais para se organizar  e ficar pronto e, tempo de menos em fazer o negócio.
  38. Espera perfeição  da sua nova Cia., não entende que se precisa de tempo para se estabelecer um bom negócio.
  39. Não se planeja para o sucesso . Se planeja para o fracasso.
  40. Têm uma aparência não profissional.
  41. Sempre dá desculpas e não soluções.
  42. Não é ensinável , e acha que já sabe tudo. Não segue conselhos dos grandes distribuidores. Tem que modificar tudo.
  43. Não quer aprender lendo e mantendo-se informado a respeito dos últimos acontecimentos na Cia/organização.
  44. Fisicamente não encaixa. Falta energia.
  45. Não tenta dar o melhor de si para o negócio.
  46. Acredita em boatos ao invés de fatos , não checa às informações;
45.Não acredita realmente na frase: "Se é para ser, é para mim."
 

$UCE$$O  E UM ÓTIMO DIA DE TRABALHO

Salve essa mensagem no seu computador e repasse para a sua equipe (Seus indicados/downlines) !!

sábado, 20 de novembro de 2010

MARKETING MULTINÍVEL É PIRÃMIDE ?

By Wagner Travassos

É inevitável a comparação com esse tipo de “esquema”. Mas gostaria de mostrar o raciocínio dos sistemas, um legal e o outro não. E por que devemos estar atentos, pois a linha entre um e outro se torna cada dia mais fina.
O marketing multinível é um sistema legítimo, legalizado, que recolhe impostos, envolve um produto ou serviço agregado, gera empregos diretos e indiretos e contribui com a sociedade de alguma forma. Esse sistema é responsável por um gigantesco faturamento a nível mundial de milhares de companhias. Nos Estados Unidos empresas como a Avon, Gillete, Coca-Cola, Citibank são exemplos de empresas que possuem um sistema de multinível em seu rol de produtos/serviços a oferecer aos seus clientes. A “pirâmide” é um esquema ilegal proibido por lei (a propósito, dá cadeia), que não recolhe impostos, não envolve produtos nem serviços, não gera empregos. E o pior é que quando a “corrente” ou “pirâmide” quebra, todos tem de reiniciar o processo. Hoje em dia esses esquemas estão tentando se fazer passar por um multinível legítimo. Vemos na Internet diversas empresas que dizem ser marketing multinível, porém não oferecem nenhum serviço ou produto legítimo (de valor) em troca de seu dinheiro. Poderíamos citar diversas delas, mas para não sermos tendenciosos vamos deixar o leitor descobrir por si mesmo, bastando observar o produto ou serviço oferecido pela empresa. Percebo através dos inúmeros textos que li que ainda não há um consenso entre os autores sobre a definição do que é uma empresa de marketing multinível. E a falta de legislação sobre o assunto nubla ainda mais o tema. Alguns afirmam que devemos aplicar a legislação americana que define o que é uma empresa de multinível, outros discordam. Uns dizem que tem que envolver
vendas diretas, outros dizem que não. Um dos termômetros é se o produto/serviço comercializado tem relevância e se gera uma cadeia de valor.
Outra “pirâmide” institucionalizada são as empresas tradicionais dos quais muitos de nós somos empregados, vejamos uma ilustração esclarecedora. 

Acredito que agora você deve estar percebendo que está em uma pirâmide e o que é pior, em muitos casos, sem perspectiva de mudanças para melhor. Nessa pirâmide empresarial para que você suba alguém tem que: se aposentar, morrer, ser promovido, ser demitido ou pedir demissão. Ou na melhor das hipóteses, a empresa crescer e abrir novas vagas para os níveis mais altos da hierarquia. No multinível vemos uma estrutura um pouco diferente. O critério em 100% dos casos é o da meritocracia. Aqui as pessoas entram da mesma forma e com praticamente o mesmo nível de conhecimento, o que diferencia os resultados é a persistência e a desejo de se atingir as metas traçadas. Portanto, é por mérito que crescemos e não por ter Q.I. (Quem Indique), que é uma prática tão comum nas empresas tradicionais.


Vemos que a legislação brasileira que trata desse assunto é de 1951, então não existia na época o marketing multinível no Brasil. O que existiam eram esquemas ilegais de pirâmides e correntes onde diversas pessoas foram prejudicadas. E essa imagem de pirâmide prejudicou o sistema de forma geral e seu desenvolvimento nos seus primeiros anos no país. Apesar de ser um sistema reconhecido como legal e legítimo em dezenas de países, inclusive aqui no Brasil, o multinível passou por esta sabatina no início de suas atividades. Temos de analisar essas empresas à luz do Código de Defesa do Consumidor. Ele é quem determina se a empresa está atuando dentro da lei ou não. Afinal, todas as empresas privadas são regidas pelo CDC.
Com o advento da venda direta e a chegada de grandes empresas, vimos à aceitação crescer ano após ano. E hoje contamos com diversas opções de empresas no Brasil. Tantas que fica até difícil escolher a qual se afiliar. Diariamente recebo convites para participar de sistemas de multinível que surgem e outros já estabelecidos. Opção não falta, é só escolher com cuidado e consciência. 

Extraido do Livro: FUNDAMENTOS DO MARKETING MULTINIVEL 
de Wagner Travassos

O líder que Deus usa

By RUSSELL P. SHEDD

Liderança faz a diferença, por sinal uma grande diferença, pois ela oferece direção, molda o caráter e cria oportunidades. Os efeitos da liderança começam no nascimento, mas não deixam de existir com a morte. Os pais nutrem uma pequena vida em direção a um destino, embutindo valores, alvos e objetivos. Mesmo ainda jovem em maturidade, uma forma especial de potencial é despertada em alguns. Juntamente com os genes, paternos e maternos, e a formação vêm as escolhas de Deus: alguns homens e mulheres são destinados a liderar e influenciar outros. Aqueles que Deus separa para liderar desfrutam tanto os privilégios quanto as responsabilidades. Suas influências, extensivas e efetivas, sobre outras pessoas os distinguem dos seguidores. A liderança de alta qualidade será encontrada entre os mais valiosos tesouros que qualquer comunidade ou organização possui. A liderança de baixa qualidade, ao contrário, produz um desperdício trágico e uma frustração caótica. Líderes de Deus estão sempre em falta.
Muitas pessoas mantêm a opinião que líderes nascem com um talento especial para a direção de outros. Eles são presentes de Deus para a sua igreja. Outra opinião é mantida de que líderes são feitos e moldados pela educação, experiência e circunstâncias. As oportunidades favoráveis que surgem em alguns ambientes e situações formam a prova máxima, na qual líderes adquirem seus incentivos e oportunidades. A melhor explicação une elementos das duas teorias. Deus escolhe e molda o caráter dos homens e das mulheres que ele quer para liderar seu povo, tanto pelo nascimento como pela oportunidade.
Algumas pessoas têm um talento administrativo. Naturalmente, elas almejam a liderança. A influência e o controle lhes dão uma sensação de importância. Já que cada pessoa tem uma necessidade natural de se sentir valorizada e querida, os líderes tendem a ser invejados. Contudo, seguidores devem saber que alguns líderes talentosos são uma ameaça. O caráter do líder e a qualidade de sua liderança fazem uma grande diferença no progresso e bem-estar de um grupo.
Não há discussão quanto a importância da liderança. Basta apenas pensarmos em uma sala de aula sem um professor ou professora. Através da história, Deus tem escolhido líderes que ele tem usado para dirigir e preservar seu povo. Uma comunidade sem liderança é como um corpo sem uma cabeça, ou um barco sem um leme. No momento em que a falta de liderança surge, uma organização tende a seguir alguém, ou então, se dispersar. Jesus lamentou a falta de propósito da vida de seus contemporâneos. Ele os comparou as ovelhas que não têm pastor (Mt 9.36). A tendência de um grupo sem um diretor é questionar a sua existência. Como uma flor fora do tempo, sua tendência natural é murchar e desaparecer. Onde estavam o homem ou a mulher que Deus poderia ter usado para liderar seu povo?
Dr. Anthony d'Souza, sócio-diretor da Xavier Institute of Manage­ment em Bombain na Índia, definiu liderança como: "a habilidade de controlar, gerenciar e alcançar determinados alvos por meio de pessoas". Não existe nenhuma menção de valores éticos nessa definição. Adolph Hitler levantou-se do grau de soldados comuns, e "pintor de casas", para tornar-se um dos mais poderosos homens da história. Em apenas seis anos o Fuehrer reanimou o potencial alemão, unindo seu povo e colocando expectativas tão eficientes que a "máquina-de-guerra” alemã conquistou muito da Europa e ameaçou o mundo. Nenhum cristão poderia imitar seu estilo perverso de liderança, nem seus objetivos pecaminosos. Pelo contrário, quando um líder toma as rédeas de uma nação inteira, e a direciona para fins justos, ele abençoa qualquer povo. A liderança poderosa precisa, então, procurar o benefício de todas as pessoas sobre as quais ela mantém influência. Esta é a forma pela qual homens de Deus são usados por ele e o glorificam.
John Haggai vê liderança como: "A disciplina de deliberadamente exercer influência dentro de um grupo para levá-lo a alvos de benefício permanente, que satisfaz as necessidades do grupo.  Esse pensamento se encaixa bem com a perspectiva de Jesus e dos autores do Novo Testamento. O Reino precisa ser procurado e seus alvos seguidos. Aqueles que assumem a liderança abençoam e agradam seu Senhor.
Liderança cristã, mais do que outra qualquer, precisa escolher objetivos que são coerentes com a vontade e lei de Deus. A liderança positiva precisa ser exercida por um homem ou uma mulher que conheça a Deus e inclua os alvos dele. As prioridades do líder precisam ser prioridades bíblicas. Suas qualidades precisam ser aquelas que lhe dêem o nome de amigo de Deus (]o 15.15) e de cooperador com ele (lCo 3.9). Como Paulo, sua ambição única será agradar a Deus (2Co 5.9). O apóstolo sabia que tinha sido escolhido por Deus para liderar outros, mesmo antes de seu nascimento (Gl.1.15). Deus lhe deu a responsabilidade de influenciar permanentemente outras pessoas para a glória dele.

Extraido do Livro "O líder que Deus usa" de RUSSELL P. SHEDD

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

INTÉRPRETE DE INGLÊS


Muita gente, principalmente quem fala inglês, pode ficar com a falsa impressão de que ser intérprete é uma maravilha. Alguns minutinhos de trabalho por dia traduzindo uma meia dúzia de frases simples enunciadas por uma pessoa que fala inglês perfeitamente, sem sotaque. E ainda por cima aparecer na TV? Até mesmo de forma inconsciente, tenho certeza de que muita gente pensou: “Pera aí, eu poderia fazer esse troço!”
Não quero subestimar de antemão a capacidade de ninguém. Sei que muitos têm potencial e podem vir a ser excelentes profissionais. Entretanto, é importante conhecer o pacote completo, ou seja, saber qual a profundidade do buraco em que você está pensando em entrar. 
Já traduzi de Pastores e Missionários a moradores de rua, Diplomatas e pessoas que se expressam perfeitamente e outras que simplesmente não conseguem falar em público por timidez, nervosismo ou despreparo. Trabalhei em hotéis mas também e já estive em salas de reunião confortáveis com controle computadorizado de temperatura e em calderarias, currais, túneis de inspeção de barragens, aterros sanitários etc.
Os temas também são realmente variados: Pregações evangelísticas, arquitetura de redes, técnicas de pesca e criação de camarões, tráfico ilícito de pessoas, integração de VoIP, marketing multinível, vendas, entre muitos outros assuntos emocionantes. Não falo com desdém dessas matérias, muito pelo contrário, devido a seu alto grau de especificidade, demandam horas de estudo e preparo para quem não é especialista da área. Achar que você vai receber farto material com antecedência é outra ilusão.

Prof.Erickson com Connie e Tim Moore da Great Hills Baptist Church de Austin - Texas (EUA)
E o que dizer dos diferentes sotaques? Já traduzi cidadãos cuja língua materna é o inglês: australianos, irlandeses, texanos, escoceses, sul-africanos, indianos etc. além dos que falam inglês como língua estrangeira: chineses, árabes, japoneses, alemães, e brasileiros etc. Todos falam variantes bem democráticas da língua inglesa e raramente se entendem, mesmo falando um idioma comum. Os “estrangeiros”, evidentemente, possuem diferentes graus de domínio do idioma. Por exemplo, um biólogo coreano especialista em tratamento de águas servidas, pode ser um cientista brilhante mas um asno do ponto de vista lingüístico.
É imperativo desmistificar outra área também repleta de devaneios: o “salário” do intérprete. Ao saberem qual é o valor de uma jornada de trabalho, muitas pessoas multiplicam essa diária por 30 e chegam à conclusão, afoita, é óbvio, de que somos todos milionários. Escrevi salário entre aspas porque os intérpretes são, em quase sua totalidade, autônomos e, portanto, auferem renda variável. E bota variável nisso! Recentemente, fiquei 43 dias em casa sem trabalho! Justo eu, intérprete com mais de 15 anos de experiência, blablablá.

Sinto-me um privilegiado por fazer o que gosto e por ter tido sucesso profissional ao longo de minha carreira. Só não posso me calar e deixar que muita gente crie uma fantasia para depois se frustrar na hora em que constatar que a realidade é bem diferente.
Em suma, quem não estiver preparado para encarar a montanha russa, no escuro, sem cinto de segurança e depois da feijoada nem deve passar perto de uma cabine de tradução simultânea.
Espero que você tenha compreendido que a simultânea é algo diferente daquilo que acontece na transmissão do Oscar ou nos outros programas de TV e, de quebra, tenha conseguido reunir subsídios para tomar uma decisão mais consciente sobre a escolha de sua profissão.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Sua habilidade em negociar vale ouro


por Sergio Buaiz

Nos últimos anos, a atividade de vendas tem sido cada vez mais valorizada e reconhecida no mercado, assumindo um papel fundamental na prestação de serviços. Hoje, aquele antigo estereótipo de vendedor oportunista e inconveniente deu lugar à imagem de um profissional responsável, consciente do seu dever e, acima de tudo, comprometido com a satisfação de seus clientes.
Por outro lado, da mesma forma que as atribuições deste profissional deixaram de ser restritas somente à uma boa aparência e uma boa lábia, tendo este absorvido técnicas avançadas de Negociação, PNL, Liderança e Inteligência Emocional, entre outras, as formas de remuneração e as possibilidades de crescimento profissional do vendedor evoluíram muito também.
Se, historicamente, muitos vendedores tornaram-se empresários bem-sucedidos e construíram impérios a partir de um trabalho individual incansável, hoje, esta determinação sadia, esta ambição por buscar resultados cada vez mais expressivos - características de todo bom vendedor - são estimuladas com planos de carreira, premiações e campanhas de incentivo de tirar o fôlego. Mais do que isto, transformaram a profissão de vendedor em uma daquelas que melhor remuneram, segundo Neil Offen, presidente da Direct Selling Association:
"Em 1992, nós descobrimos que apenas 6% dos vendedores trabalhavam 40 horas por semana. E destes que trabalham, 50% ganham mais de US$ 50.000 por ano e 10% estão ganhando mais de US$ 100.000 por ano, fazendo da nossa profissão uma das que melhor remuneram em todo o mundo", afirmou.
A princípio, tal declaração poderia soar estranha às pessoas que cresceram ouvindo dizer que o bom era formar-se como médico ou advogado para alcançar um bom padrão de vida, mas o fato é que hoje, mais do que em 1992 (e mais do que nunca), são as habilidades interpessoais desenvolvidas pelo vendedor que fazem a maior diferença para as empresas. O vendedor é responsável direto pelo crescimento de demanda dos produtos e serviços que representa, em especial nesta época em que a concorrência chegou com força total e a qualidade dos produtos foi equiparada em todos os níveis.
Já há alguns anos estamos com nossa economia migrando para os serviços, onde o valor do produto é calculado não somente pela qualidade do seu conteúdo, da sua fabricação, mas também pelo melhor atendimento, pelo melhor serviço de acompanhamento e pós-venda. E isso remete ao Marketing de Relacionamento, que está aí para nos mostrar a importância de uma venda bem-feita, que gera recompra - fidelização - e a indicação referendada de novos clientes.
A atividade de vendas, portanto, é aquela que mais se desenvolveu e que mais ampliou seus horizontes nos últimos anos. Tanto isto é verdade que, em plena crise do desemprego mundial, todos os classificados de oportunidades trazem anúncios e mais anúncios de recrutamento para a área de vendas. Os melhores ganhos, as melhores condições de crescimento profissional e a melhor segurança estão, hoje, na atividade de vendas. E a tendência é que isto aumente cada dia mais!
Se considerarmos que o termo "vender" é o mesmo que "negociar", podemos concluir que tudo é passível de se vender, inclusive idéias, imagem, currículo profissional... tudo no ambiente capitalista gira em torno de vendas, e isto se reflete em todas as áreas. Não por acaso, profissionais de informática, engenharia e economia, entre outros que jamais tiveram interesse no assunto, têm procurado desenvolver habilidades de vendas. Muitos têm migrado para esta atividade em definitivo.
A importância das vendas e do vendedor no cenário atual é incontestável. Por isso, você, empresa, deve estar preparada para reconhecer o valor da sua equipe e mantê-la motivada o suficiente. E você, vendedor, deve estar se aprimorando cada vez mais, buscando uma qualidade de vida compatível com o seu trabalho.
Não se acomode em uma posição que não lhe trará o retorno que espera. Cuide da sua carreira como um empreendedor de verdade. E assuma o controle do seu futuro, tomando atitudes de sucesso!
A busca da liberdade
O vendedor comum trabalha, trabalha, trabalha... e ganha somente sobre o seu próprio tempo de esforço despendido. A remuneração do vendedor, seja salário fixo ou comissão, sempre foi vinculada às suas condições físicas e limitada pela sua vida útil. O que fazer, então, para garantir um futuro mais tranqüilo, uma aposentadoria capaz de lhe proporcionar tempo, dinheiro e segurança, de modo que você possa realmente usufruir de tudo o que vem conseguido com seu próprio esforço?
Plano de previdência privada? Investimentos financeiros? Imóveis? São boas alternativas, sem dúvida. Mas você pode fazer mais que isto. Você pode obter uma fonte de renda residual, bastando que para isto adote apenas mais uma função em seu trabalho diário. Como assim?! O que é renda residual e como obtê-la? O que um vendedor pode fazer para, em um período médio de cinco anos, alcançar uma remuneração alta, desvinculada do seu próprio esforço pessoal de vendas?
É simples: duplicando o seu trabalho através da formação e do treinamento de uma equipe de vendas, remunerada segundo uma fórmula conhecida como Marketing Multinível ou Marketing de Rede - a fórmula de remuneração escolhida por três entre quatro empresas de Vendas Diretas nos Estados Unidos.
O Marketing de Rede, apesar de ainda um pouco incompreendido no mercado brasileiro - devido a ações mal direcionadas de alguns pioneiros do setor - é, sem sombra de dúvidas, a melhor alternativa de remuneração já encontrada para equipes de vendas. Isso porque proporciona potencial de ganhos ilimitados e, o que é melhor, um remuneração residual que você ganha, pelo resto da vida, por um trabalho que fez somente uma vez.
Da mesma forma que um cantor ou escritor recebe rendimentos residuais por um trabalho artístico-intelectual feito apenas uma vez, os profissionais de Marketing de Rede podem ter uma renda residual sobre o volume de negócios gerado pelos vendedores que trouxeram para a empresa, treinaram e inspiraram apenas uma vez. Assim, como dizia o milionário americano J. P. Getty, em vez de ganhar 100% a partir do seu próprio esforço, pode ganhar 1% a partir do esforço de 100 pessoas ou mais, adquirindo uma excelente condição de liberdade e segurança. Com esse sistema, o vendedor pode ter ascensão profissional, estabilidade financeira (uma vez que a sua renda não depende mais da sua capacidade física de trabalho) e tende a tornar-se um verdadeiro empresário, sem a necessidade de altos investimentos ou o risco de abrir um negócio sem conhecimento.
Para a empresa, este modelo também é mais vantajoso, pois o vendedor cria um vínculo mais forte de fidelidade com os produtos e a empresa que representa. Com isso, as empresas que adotam o Marketing de Rede têm mais do que uma equipe de vendas, pois cada um dos seus vendedores sente-se como o dono do seu próprio negócio, formando um time de pessoas motivadas em fazer crescer o faturamento da empresa e receber uma fatia cada vez maior do bolo.
Hoje, há uma infinidade de fórmulas matemáticas que visam premiar melhor os vendedores de sucesso, permitindo que muitos comecem a administrar suas próprias equipes de vendas. Desta maneira, o vendedor passa a ter uma perspectiva de carreira empresarial, que pode levá-lo à tão sonhada liberdade financeira com dinheiro, tempo e segurança.


Publicado na revista “Técnicas de Vendas” (Agosto de 1999, pg. 12-13)

terça-feira, 16 de novembro de 2010

AMWAY

Nos últimos 50 anos, a AMWAY não é reconhecida somente pelo seu modelo de vendas direta de enorme sucesso, mas também pela excelência em produtos, a preocupação com o meio ambiente e o compromisso com a segurança e a saúde. Afinal, seus produtos de saúde, beleza e para os cuidados do lar desempenham um papel positivo na vida de milhões de pessoas ao redor do mundo.-A história
A história começou com dois amigos de infância, no estado americano de Michigan, que sonhavam com uma vida melhor para suas famílias. Em 1949, Jay Van Andel e Richard DeVos, tiveram conhecimento dos Suplementos Nutricionais NUTRILITE™ e do sistema de venda direta que era utilizado na sua comercialização. Como vendedores bem sucedidos dos produtos da marca, eles chegaram a uma conclusão: quem quisesse trabalhar a sério, podia ter o seu próprio negócio através do sistema de venda direta. Para eles, as pessoas e suas relações eram partes primordiais de qualquer negócio bem-sucedido. Em 1959, os dois amigos e alguns sócios, procuravam novas idéias de produtos para expandir os seus esforços. O resultado foi a fundação da AMWAY (abreviação de The American Way Association) para representar os mais de 5.000 distribuidores amealhados pelos dois ao longo dos anos e a criação de seu primeiro produto de cuidados com a casa, até hoje conhecido como o limpador multiuso L.O.C.™ - Limpador Orgânico Concentrado.
- -
O primeiro slogan adotado pela empresa foi “O Know How dos Produtos de Cuidados do Lar… à sua porta”. Foi uma história instantânea de sucesso de vendas, que lhes proporcionou um mundo de novas oportunidades. Dois anos depois, a empresa também lançou o detergente para a roupa SA8™ com uma formulação biodegradável. Em 1963, foi lançado o DISH DROPS™ Detergente Líquido para louça, completando assim o trio de produtos que tornaria a empresa tão famosa e sólida financeiramente em seus primeiros anos. A excelente qualidade destes produtos também contribuiu para realçar o valor da marca AMWAY.
- -O lançamento da linha de produtos para cabelos Satinique em 1965, e a linha de cosméticos Artistry em 1968, representou os primeiros avanços da empresa neste rentável segmento. Foi também nesta década, que os dois vislumbraram a possibilidade de dividir seu sucesso com outros que compartilhavam de seus valores e visão de negócio. Desenvolveram, então, um modelo de negócios único que permitiu que outras pessoas se juntassem à AMWAY e compartilhassem os benefícios de um negócio em expansão. O negócio se tornou então um modelo de recompensa e reconhecimento. Convencidos da relevância de seus valores, a qualidade e o potencial da oportunidade de negócios oferecida, mais e mais pessoas passaram a fazer parte da empresa. Em meados dos anos 70, os ônibus AMWAY já percorriam mais de 5 milhões de quilômetros por ano, entregando produtos a milhões de distribuidores. A empresa se expandiu, abrindo mercados em oito países em três continentes. A AMWAY iniciou operações na Austrália em 1971. Na seqüência vieram, rapidamente, Grã-Bretanha, Hong Kong e Malásia. A subsidiária japonesa, fundada em Tóquio, em 1979, rapidamente se tornou um dos maiores mercados da empresa.
- -A aquisição do controle acionário da NUTRILITE Products Inc. tornou possível aos distribuidores americanos comercializarem a linha completa de suplementos alimentares da marca, que se converteram nos favoritos da América. Em poucos anos, a empresa tinha mais de 700 funcionários, mais de 200 produtos exclusivos e mais de 100 mil distribuidores. As vendas anuais da AMWAY cresciam rapidamente, superando os US$ 500 mil, pela primeira vez. Nos anos 80, a empresa expandiu sua sede em Ada, Michigan, e construiu uma nova fábrica de cosméticos, na qual os produtos ARTISTRY foram desenvolvidos e fabricados. Na América Latina iniciou suas operações em 1985 no Panamá, seguido pela Guatemala dois anos mais tarde. Em 1989, foi reconhecida como líder na promoção da consciência e educação ambientais, quando recebeu um dos mais prestigiosos prêmios das Nações Unidas por suas realizações em programas educacionais voltados para a preservação do meio ambiente.- -
Nos anos 90, seguindo os passos dos pais, Steve Van Andel e Dick DeVos sucederam os fundadores no comando da empresa, construindo e dando continuidade ao sucesso da empresa. Durante esta década a expansão foi contínua, com um volume estimado de vendas atingindo US$ 5 bilhões por ano. A empresa ingressou em importantes mercados como México em 1990, Brasil em 1991, Argentina em 1993, Honduras, El Salvador, Chile, Uruguai e China em 1995, Costa Rica e Colômbia em 1996, e por fim, Venezuela e Índia em 1998. Enquanto isso, em todo o mundo, as afiliadas continuaram a apoiar seus distribuidores com o lançamento de sites de comércio eletrônico, para divulgar a oportunidade e comercializar os produtos AMWAY pela internet. Com a chegada do novo milênio, o compromisso da AMWAY com saúde e nutrição levou a empresa a ser pioneira em sistemas de tratamento de água, com resultados muito bem-sucedidos. A linha de produtos de tratamento de água - eSpring® - lançada em 2000, continua a deter, até hoje, um dos primeiros lugares no mercado global. Hoje em dia, apesar de Estados Unidos e Japão constituírem os maiores mercados da empresa, China, Rússia e Índia apresentam crescimentos invejáveis, contribuindo e muito para a expansão da AMWAY no mundo.- -
A evolução visual
A identidade visual da AMWAY evoluiu bastante ao longo de sua história. A última mudança ocorreu na última década, quando o novo logotipo da marca ganhou ares bem mais modernos e sofisticados.
- -Os slogansBetter Ideas. Better Life.
Where life gets better.
- -Dados corporativos● Origem: Estados Unidos
● Fundação: 1959● Fundador: Rich DeVos e Jay Van Andel
● Sede mundial: Ada, Michigan
● Proprietário da marca: Alticor Inc.● Capital aberto: Não
● Chairman: Steve Van Andel● Presidente: Doug DeVos
● Faturamento: US$ 8.4 bilhões (2009)
● Lucro: Não divulgado● Distribuidores: + 3 milhões
● Presença global: 80 países
● Presença no Brasil: Sim
● Funcionários: 13.000● Segmento: Vendas diretas
● Principais produtos: Produtos de limpeza, suplementos alimentares e cosméticos
● Marcas: Nutrilite, L.O.C.™, SA8™, Satinique, Ertia, Moiskin, Artistry e eSpring®
● Slogan: Better Ideas. Better Life.● Website: www.amway.com.br
-A marca no Brasil
A trajetória da AMWAY no Brasil é polêmica. A empresa aterrissou por aqui em 1991 com um detergente concentrado que rendia um litro para cada 50 gotas de produto e rapidamente construiu uma vigorosa rede de 200 mil revendedores. Com isso, o Brasil passou à terceira posição no ranking da empresa, atrás dos Estados Unidos e Japão. Mas esse enorme sucesso não se sustentou. O declínio deveu-se a vários fatores. Boatos acusando a empresa de fazer “lavagem cerebral” nos funcionários e o descontentamento com a remuneração (baseada no sistema multinível, no qual o revendedor recruta novos associados e embolsa parte dos ganhos deles) fazem parte da lista. O golpe de misericórdia foi a desvalorização cambial, que encareceu os produtos. Um novo executivo assumiu o comando em 2000 com a missão de relançar a empresa e sua filosofia. A primeira providência foi “limpar” a carteira de revendedores, afastando os que não se adequavam ao perfil. Depois, cuidou de melhorar a rentabilidade. Obteve autorização da matriz para produzir (através de terceiros) itens específicos (maquiagem e perfumes) para o mercado local. Reforçou os mecanismos de treinamento dos revendedores e criou políticas de incentivo. A última etapa do plano foi a fabricação de produtos mundiais (iniciada com o sabonete da linha Body Series). Mas todas essas medidas foram em vão. As vendas não emplacavam. A empresa não desistiu, adotou outra estratégia: lojas próprias para os revendedores, além de deixar os detergentes de lado e priorizar produtos de beleza e de emagrecimento. Apesar de resultados consistentes, a empresa ainda parece carecer de credibilidade, mas está no caminho certo para uma consolidação defintiva no país.
- -A marca no mundoAtualmente a AMWAY, uma das maiores empresas de vendas direta do mundo com faturamento de US$ 8.4 bilhões e portfólio constituído por aproximadamente 450 produtos, conta com uma rede de 3 milhões de distribuidores em mais de 80 países. Seus produtos são distribuídos através de 38 centrais de distribuição localizados em 31 países ao redor do mundo. O centro de operações global da empresa está localizado em Ada, no estado do Michigan. Em mais de 1.5 quilômetros de extensão estão localizados os laboratórios, onde trabalha a equipe de pesquisa, composta por mais de 500 cientistas, equipes de desenvolvimento de produtos e pessoal de apoio para negócios em todo o mundo. Esta unidade é também uma das cinco instalações de produção da empresa no mundo. A empresa despacha mais de 30 mil itens diariamente, por meio de suas 49 docas de carga somente na cidade de Ada. Hoje em dia, suplementos vitamínicos, shakes de emagrecimento e produtos de beleza representam mais de 60% do faturamente global da empresa.
-
Você sabia?
O compromisso da AMWAY com a inovação e a investigação produziu mais de 700 patentes outorgadas.-
-

As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Maiores informações de como representar e comercializar a marca Amway:

Prof.Erickson L.Ribeiro
Email e MSN: ericksonlr@gmail.com
83 8813 8532

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

SOBRAM VAGAS

Você pode utilizar o conteúdo abaixo para divulgar para seus amigos e/ou familiares que não conhecem a nossa indústria.


 
Sergio Buaiz para o site do SEBRAE (Em 2003):

Sobram vagas! Conheça, comece a pensar diferente e seja dono do seu próprio nariz !

Você acredita que é possível ganhar de R$ 500 a R$ 3.000, trabalhando em casa ? Provavelmente não. Afinal, tudo que parece bom demais para ser verdade, costuma não ser. De qualquer modo, você já deve ter notado a quantidade de anúncios classificados, panfletos, cartazes e outros meios de divulgação prometendo esses resultados por aí, não é mesmo? Eles estão por toda parte...

Então eu pergunto: por que há tanta gente envolvida nisso? Será que funciona? Será que é ilegal? Você gostaria de saber do que se trata? Se fosse uma oportunidade real de mudar a sua vida, você estaria preparado para aceitá-la? Ou descartaria de imediato, como vem sempre fazendo?

Eu não sei qual é a sua experiência nisso, mas recomendo que você baixe suas armas e preste muita atenção no que vou dizer: nem todos os anúncios têm a mesma origem. Portanto, não existe uma resposta fácil para qualquer dessas perguntas. Não dá para saber se a oportunidade é verdadeira pelo anúncio, simplesmente porque há inúmeras empresas usando estratégias parecidas para divulgarem seus negócios. Algumas são fraudulentas, outras mal-intencionadas... e muitas têm algo realmente bom a oferecer.

Parece óbvio, mas a grande maioria das pessoas se fecha às oportunidades que surgem por puro preconceito. Elas tiveram alguma experiência negativa ou escutaram alguém falar de negócios que não deram certo, e pensam que todas as oportunidades que existem se referem à mesma empresa, produto ou situação. Enfim, passam a vida inteira falando mal das pessoas que desenvolvem esse tipo de negócio, sem conhecer.

Não seja tão ingênuo. Que tal investigar um pouco mais sobre negócios domiciliares antes de assumir uma postura definitiva? Mesmo que você não se interesse em construir esse tipo de negócio, poderá ajudar os amigos e parentes que se envolverem.


O PRODUTO “OPORTUNIDADE”

Está claro que o desemprego chegou para ficar. Não apenas no Brasil, mas em todo o mundo, o mercado de trabalho vem sofrendo grandes transformações. Hoje, não se têm as mesmas garantias do passado e está cada vez mais difícil manter uma posição.

Diante deste quadro, quantas pessoas estão ociosas por falta de emprego? Faz sentido imaginar que o medo de perder o posto obriga àqueles que estão empregados a aceitarem condições piores de trabalho e salários mais baixos?

Ao mesmo tempo em que o trabalho formal vem sendo desvalorizado a cada dia, basta olhar para os lados para perceber a maior obsessão das empresas: conquistar e fidelizar seus clientes. São promoções, publicidade, condições de pagamento a perder de vista, enfim, vale tudo para sobreviver mais um dia nesse mercado.

Nunca, em qualquer tempo, tantas empresas surgiram e desapareceram tão rápido quanto agora. Ou seja, a competitividade que existe entre os seres humanos para conseguir empregos, é praticamente a mesma que as existe entre as empresas, para conseguir clientes.

Percebendo isso, alguns empresários resolveram unir o útil ao agradável. Eles começaram a oferecer oportunidades para as pessoas insatisfeitas com o mercado de trabalho formal, da seguinte forma: “quanto mais vocês me ajudarem a expandir as vendas, mais dinheiro eu estou disposto a pagar”. Criou-se, então, o produto “Oportunidade” para empreendedores autônomos de todo tipo: vendedores, treinadores, administradores e pessoas comunicativas em geral.

Faz sentido, não? Claro que faz!


O DISTRIBUIDOR INDEPENDENTE

Talvez você nunca tenha ouvido falar nesta profissão, mas já existem mais de um milhão de brasileiros trabalhando como Distribuidores Independentes. Não é incrível? Este é o mercado de Vendas Diretas, que faturou R$ 3,6 bilhões e cresceu 21% no último semestre (isso em 2002), segundo a ABEVD – Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas.

O que os Distribuidores Independentes fazem? De um modo geral, apresentam os produtos e serviços dessas empresas para o maior número de pessoas possível. Fazem demonstrações, palestras e realizam vendas para começar, mas a atividade de vendedor costuma ser apenas o início do seu próprio negócio. É um ganho imediato que, dependendo da empresa, pode chegar tranqüilamente aos números divulgados por aí.

Basta fazer a conta: a maioria das empresas oferecem 30% de descontos sobre o preço sugerido à venda, para seus Distribuidores Independentes. Ou seja, um determinado produto que custa R$ 100 ao cliente final, é adquirido pelo Distribuidor por R$ 70. Dependendo da empresa, os números podem variar, mas o fato é que se você fizer apenas uma venda por dia, e vender de vinte a trinta itens no mês, irá movimentar algo em torno de R$ 2.000 em vendas ao cliente final, colocando no bolso aproximadamente R$ 600.

É pouco? Talvez seja pra você, mas eu sugiro que enxergue o mercado como um todo. Quantas pessoas no Brasil trabalham dia e noite para ganhar bem menos que isso? Quantas estão dispostas a trabalhar e não conseguem ser absorvidas pelo mercado formal? Quantas querem uma oportunidade para reconquistar sua auto-estima e sustentar suas famílias com dignidade? Milhões é a resposta.

Portanto, se você acha pouco receber R$ 600 sobre as próprias vendas, que tal receber R$ 1.500, R$ 3.000 ou até R$ 10.000 por recrutar e treinar essas pessoas?

Sim, como eu disse antes, a venda direta é apenas o início deste tipo de negócio. Todos começam realizando vendas pessoalmente, mas à medida em que se desenvolvem como líderes e formadores de equipes produtivas, os Distribuidores Independentes podem se tornar grandes empreendedores autônomos, gerenciando redes espalhadas por todo o País e pelo mundo.

Se você é um bom treinador, determinado a aprender as melhores técnicas e se aprimorar a cada dia, pode começar com cinco, depois dez, vinte, cem... até alcançar mil Distribuidores ativos em sua equipe, no prazo de dois a cinco anos. Considerando os números acima, você pode gerar um volume de negócios de R$ 2.000.000 mensais para a sua empresa. Se um dia você receber 1% disso, estamos falando em um ganho aproximado de R$ 20.000/mês.

Você pode alcançar resultados expressivos, mas o potencial de crescimento não é o mais importante. O fundamental é entender que todos começam do mesmo ponto, sem a necessidade de fazerem grandes investimentos. Ou seja, você pode iniciar um negócio domiciliar com apenas R$ 200 e, daqui a cinco anos, gerenciar um mercado de distribuição milionário. Só depende de você!


DICAS E ARMADILHAS

O sistema faz sentido e os números estão aí para provar que funciona. Em 2002, pouco mais de 1 milhão de brasileiros movimentaram o equivalente a R$ 6,9 bilhões. Nos Estados Unidos, foram mais de 12 milhões de distribuidores e US$ 28 bilhões em vendas.

O negócio de vendas diretas funciona e vai muito bem, obrigado!

Entretanto, é natural que nem todas as empresas deste setor sejam prósperas e vencedoras. Sabemos que nem todos os produtos comercializados têm qualidade compatível com os preços praticados, nem todos os profissionais são éticos... enfim, podemos encontrar os mesmos problemas em qualquer outra indústria.

Além disso, são comercializados diferentes tipos de produtos, nos segmentos de cosméticos, nutrição, cuidados pessoais, cuidados com a casa, roupas e praticamente tudo que você pode imaginar. Algumas empresas priorizam o ganho imediato e oferecem um plano de carreira mais simples. Outras, querem expandir rapidamente e valorizam o potencial de ganhos a médio e longo prazos. Ou seja, há oportunidades para todos os gostos. Cabe a você distinguir as melhores oportunidades para o seu perfil.

Uma sugestão que vale ouro: jamais se envolva em uma companhia sem conhecer e testemunhar a qualidade de seus produtos/serviços. Você precisa enxergar o valor do que está vendendo para o negócio funcionar ao longo do tempo. Qual o benefício real que você estará levando para as pessoas? O produto tem um preço compatível ou você está interessado apenas na oportunidade de ganhar dinheiro? Tenha a consciência limpa. Isso é indispensável para alcançar o sucesso pessoal e profissional.

Outra coisa: certifique-se de que a estratégia utilizada pela empresa e seus treinadores são sustentáveis e compatíveis com seus valores éticos. Infelizmente, existem empreendedores que cometem alguns abusos na tentativa de buscar atalhos para o sucesso. Além de não conseguirem resultados duradouros, acabam prejudicando o trabalho de quem atua corretamente.

Por exemplo, há Distribuidores Independentes que se utilizam da prática de SPAM (e-mail comercial não-solicitado) para promoverem suas oportunidades. Isso é uma forma errada de desenvolver qualquer negócio, pois além de comprometerem seriamente a própria imagem, prejudicam a empresa e os demais distribuidores. Para cada pessoa interessada, a prática de SPAM gera centenas ou milhares de descontentes, falando mal do sistema. Ou seja, é uma prática muito similar às queimadas que esgotam o solo rapidamente.

Portanto, se você deseja construir um futuro de sucesso, cuide bem de suas raízes. Respeite consumidores e parceiros potenciais, oferecendo algo de real valor. Não aumente, nem invente. A oportunidade de vendas diretas é muito positiva e funciona no tempo certo, se você estiver disposto a trabalhar e se desenvolver como profissional.


QUEM PODE FAZER?

Aí é que está o grande diferencial deste mercado. Todas as empresas de Vendas Diretas querem vender mais e oferecem estrutura para atender um número ilimitado de Distribuidores Independentes. Por isso, sobram vagas!

Além disso, por não haver qualquer limitação quanto à experiência, faixa etária, formação profissional, o mercado de vendas diretas acolhe todo tipo de pessoa. A única seleção que existe está relacionada a sua vontade de iniciar algo novo e investir o tempo necessário em seu próprio aprendizado. Se você quer, você pode!

Algumas pessoas podem iniciar seus negócios de venda direta em meio expediente, para não abandonarem sua fonte de renda principal. Depois, à medida em que os resultados aparecem, podem se dedicar mais e assim por diante.

Outra coisa importante: por lidarem com pessoas de origens tão diferentes, as empresas de vendas diretas investem muito em capacitação profissional. Todas oferecem cursos e materiais de apoio bem elaborados, que visam ensinar passo-a-passo o que você precisa para galgar os degraus do sucesso.

Neste mercado, não há privilégios para quem tem formação A, B ou C. O diferencial está na determinação de cada um. Pode ser até que uma pessoa com nível superior ou capital para investir comece um pouco mais rápido, mas essa diferença desaparece logo nos primeiros passos da caminhada. A prova disso é que as principais histórias de sucesso deste mercado são de pessoas que começaram da base, com pouco ou nenhum recurso.

A verdade é que não há ganho sem dor. Este é um negócio sério como outro qualquer. É preciso trabalhar com afinco e se desenvolver diariamente para chegar a algum lugar.