segunda-feira, 2 de novembro de 2009

VICE-PRESIDENTE DA ABEVD ABORDA O CONCEITO MULTINÍVEL.



As vendas diretas estão em evidência. No primeiro semestre de 2009, cresceram 18,3% em relação ao mesmo período do ano passado, o equivalente a R$ 9,586 bilhões. Foi o que revelou a Associação Brasileira de Vendas Diretas (ABEVD). Descontada a inflação do período, o crescimento real obtido foi da ordem de 12,8%, o que aponta para o vigor que o setor mantém, mesmo no período da crise. Com esses números, não é à toa que o Brasil venha se destacando como um dos mercados mais potentes, incentivando empresas nacionais de outros segmentos a investirem em operações de vendas diretas e despertando o interesse de companhias estrangeiras.

A Federação Mundial das Associações de Vendas Diretas (WFDSA) divulgou, no ano passado, relatório que posicionava o país como o terceiro maior mercado do mundo, na frente da Alemanha e da Coreia e atrás de gigantes como Estados Unidos e Japão. São mais de dois milhões de revendedores, que juntos movimentaram o equivalente a R$ 18 bilhões em 2008. Nos últimos tempos, a ABEVD teve uma expansão significativa no número de empresas associadas, com atuação em diversos setores e variados modelos de negócios. Entre eles, o modelo multinível, também conhecido como marketing de rede, que ganha cada vez mais adeptos. O conceito baseia-se em um modelo de vendas que permite ao revendedor ganhar pela revenda de produtos e ao mesmo tempo desenvolver as organizações comerciais, amplificando ainda mais os ganhos dos revendedores. Em outras palavras, o revendedor torna-se um multiplicador, um líder corresponsável pelo desenvolvimento de sua rede. E tudo isso com um investimento estritamente baixo.

Com esse fator motivacional, que impulsiona o revendedor a recrutar novos profissionais e a treiná-los em troca de participação de lucros, ele se torna um verdadeiro empreendedor. Quanto mais trabalho, maior o ganho. Em vista desse ganho, é cada vez maior o número de pessoas que percebem a oportunidade de renda complementar ou até mesmo passam a se dedicar integralmente às vendas diretas, inclusive trocando carreiras tradicionais. Para as empresas que chegam, é importante dar foco especial ao treinamento de multiplicadores que, posteriormente, treinarão os demais membros da rede e assim sucessivamente. Quando você expõe sua marca por meio de uma rede de revendedores autônomos, afinal, há de se zelar pela apresentação correta do produto ou serviço e pela forma como a informação será passada, lá na ponta, para o consumidor final.

Marcelo Zalcberg é vice-presidente da Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) e diretor-geral da Herbalife do Brasil.

Nenhum comentário: