sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

OU VOCÊ FAZ ALGO OU VAI SE INDIVIDAR MAIS

De acordo com o blog http://achadoseconomicos.blogosfera.uol.com.br/ a dívida do brasileiro dobra a cada 8 meses, enquanto a poupança levaria 14 anos para duplicar os valores depositados. 
Segundo o artigo, quando o brasileiro fica devendo no cartão de crédito, ele pode ver a sua dívida dobrar em apenas oito meses. Já quando põe dinheiro na poupança, o tipo de aplicação mais popular, tem que esperar nada menos que 14 anos e um mês para ver o seu capital multiplicar por dois.
Mesmo depois de toda essa espera, o poupador não teria muito o que comemorar. Seu rendimento já teria sido superado, com folga, pelo aumento dos preços, que, pela taxa de inflação atual, duplicariam em menos tempo. Considerando os juros praticados em dezembro, veja quanto tempo alguns tipos de dívida levariam para dobrar.

Se dever, o juro pega; se poupar, a inflação come


Tipos de dívidas

Juros (% ao ano) Juros (% ao mês) Quantos meses leva para dobrar
Cartão de crédito 192,94 9,37 8
Cheque especial 146,83 7,82 9
Empréstimo pessoal em financeiras 124,21 6,96 10
Comércio 61,22 4,06 17
Empréstimo pessoal em bancos 41,42 2,93 24
Poupança versus inflação
A poupança tem hoje uma rentabilidade de 5,075% ao ano (0,41% ao mês) e assim ficará enquanto o Banco Central mantiver a Selic, taxa básica de juros, nos atuais 7,25% ao ano. A instituição já disse que o juro básico continuará nesse patamar por um tempo “suficientemente prolongado”.
A taxa básica de juros em um nível baixo, quando em tempo de preços comportados, é claramente um dado favorável para a economia. No entanto, não se pode esquecer que a poupança hoje está rendendo menos que a inflação. No ano passado, o IPCA, índice oficial de preços, teve alta de 5,84%, ritmo que, se fosse mantido, faria o custo de vida dobrar em 12 anos e quatro meses.
Segundo analistas consultados pelo Banco Central, esse cenário não deve mudar muito no curto prazo. A expectativa é de que a inflação atinja 5,67% em 2013 e 5,5% em 2014.
É verdade que a situação já foi pior para os devedores. Em janeiro de 2011, por exemplo, o juro no cartão de crédito estava em 238,3% ao ano, o que fazia uma dívida dobrar em sete meses e mais que triplicar em um ano. Mas as condições do poupador também já foram melhores. Naquele mesmo ano, a poupança rendeu 7,5%, com um ganho de 0,94% acima da inflação.
Em tempo: quem ainda tem aplicação na poupança feita na época da regra antiga (até 3 de maio) conseguiu um ganho real. A rentabilidade, no ano passado, foi de 6,47%, ou 0,6% mais que a inflação, segundo cálculos da consultoria Economatica. Nos últimos dez anos, diz a empresa, o melhor momento do poupador foi em 2006, quando o ganho real atingiu 5,1%.

Qual a solução? - Buscar uma renda alternativa, lutar por um novo tipo de fonte de renda, pois já dizia Einstein: "Loucura é fazer as mesmas coisas e esperar um resultado diferente", ou seja, se quer mudar sua realidade, faça algo que não fez ainda, pois aquilo que você já faz não está surtindo efeito.

Uma opção viável e de baixíssimo risco é o mercado multinivel, mas não com qualquer empresa, ou com promessas mirabolantes. Uma empresa séria é a Novety Cosméticos, sediada em São Paulo com 13 anos de mercado, com solides, incentivos e fantásticas premiações.

Quem se interessar por essa fantástica alternativa nos contacte pelo email ericksonlr@gmail.com

Nenhum comentário: