GANHE BITCOINS AGORA, GRÁTIS

BTCClicks.com Banner

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Por que a americana Amway 'gosta' da crise no Brasil

Maior empresa de venda direta do mundo, a americana Amway volta a crescer depois de anos de estagnação no mercado brasileiro

Almeida Filho, da Amway: “As pessoas estão à procura de um plano B”
Almeida Filho, da Amway: “As pessoas estão à procura de um plano B”
Quando assumiu a operação local da americana Amway em 2013, o executivo brasileiro Odmar Almeida Filho encontrou um negócio estagnado. A Amway estava literalmente parada no tempo. Seus revendedores estavam em 50 mil desde 2008, o que impactava nas vendas.
Três anos depois, a Amway está voltando a crescer no Brasil. E a crise tem ajudado muito a empresa, que é a maior do mundo em vendas diretas, com faturamento de US$ 9,5 bilhões em 2015, segundo estimativa da Direct Sales News.
Atualmente, a Amway conta com 100 mil revendedores. O plano é chegar a 150 mil até o fim de 2016. “As pessoas estão à procura de um plano B”, diz Almeida Filho. “E nosso plano B é muito atraente.”
A estratégia de Almeida Filho para fazer a Amway voltar a crescer contou com o reforço de US$ 150 milhões em investimentos. O dinheiro foi usado em diversas frentes. Uma delas foi na educação dos revendedores, que a Amway chama de empreendedores, apostando nos cursos online.
A Amway atua na modalidade chamada de marketing multinível. Dessa forma, um vendedor pode formar uma rede e ganha uma sob cada venda. Esse modelo recebe críticas por ser confundido com uma pirâmide, o que é proibido pela legislação brasileira e em diversos países. “Só ganha se houver venda”, diz Almeida Filho.
A fazenda orgânica de acerola que a empresa mantém em Ubajara, a 322 quilômetros de Fortaleza, na região noroeste do Ceará, ganhou também um laboratório de pesquisa. É de lá que sai o concentrado de vitamina C para a produção de cápsulas, base de diversos produtos de sua linha de nutrição, que é exportado para os Estados Unidos
A Amway também vai acelerar seu plano de abertura de lojas, que funcionam como um show room e de apoio aos seus revendedores. Atualmente, a companhia americana conta com quatro lojas, localizadas em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Recife. A quinta será aberta em Belo Horizonte no fim do ano.  O plano é chegar a 30 lojas até 2019
Ao mesmo tempo, a companhia passou a vender produtos mais adaptados ao Brasil. Sua linha Nutrilite, por exemplo, ganhou cápsulas de minerais e vitaminas desenvolvidas exclusivamente para o brasileiro.
Além disso, Almeida Filho ampliou a linha de atuação da Amway. Além das áreas de nutrição, beleza e produtos para a casa, a companhia trouxe a linha Satinique, de cuidados com o cabelo para o Brasil, a partir de 2016. 
Fonte: http://www.istoedinheiro.com.br/ 


Nenhum comentário: